sicnot

Perfil

Desporto

Portugal defronta a França nas meias-finais do Europeu de sub-19

A seleção portuguesa de futebol de sub-19 vai defrontar na quinta-feira a França, na qualidade de segunda classificada do grupo B, nas meias-finais do Europeu da categoria, que se encontra a decorrer na Alemanha.

(Arquivo)

(Arquivo)

DENIZ CALAGAN

Portugal, que empatou no domingo com a Itália (1-1), esperava a classificação final do grupo B para saber qual o adversário na meia-final, que será a França, que goleou a Holanda por 5-1.

Os franceses acabariam, no entanto, na segunda posição, visto que a Inglaterra venceu a Croácia (2-1) e terminou em primeiro, pelo que defrontará a Itália na outra meia-final.

Holanda e Alemanha, terceiras classificadas nos dois grupos, irão disputar um 'play-off' de acesso à última das cinco vagas europeias para o Mundial de sub-20, para o qual estão apurados Portugal, Itália, Inglaterra e França.

Esta competição, que a seleção portuguesa já venceu por duas vezes, disputa-se no próximo ano na Coreia do Sul, de 20 de maio a 11 de junho.

No Europeu de sub-19, a equipa portuguesa, comandada pelo selecionador Emílio Peixe, procura o quarto título europeu na categoria, depois de ter vencido nas edições de 1961, 1994 e 1999, e ter sido sete vezes finalista vencida, a última em 2014.

Lusa

  • Governo lança linha de crédito de 100 M€ para empresas situadas no interior

    País

    As políticas de valorização do interior, tema escolhido pelo primeiro-ministro, António Costa, abriram o debate quinzenal na Assembleia da República. O primeiro-ministro anunciou que o Governo vai lançar uma linha de crédito de 100 milhões de euros destinada exclusivamente a pequenas e microempresas empresas situadas no interior, a par da reprogramação do Portugal 20/20.

    Direto

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.