sicnot

Perfil

Desporto

Atleta russa condenada a devolver meio milhão de euros a Londres

A atleta russa Liliya Shobukhova terá de devolver 400 mil libras (cerca de 476 mil euros) à maratona de Londres, pela anulação dos resultados obtidos na corrida londrina, devido à suspensão por doping, determinou hoje um tribunal britânico.

© Paul Hackett / Reuters

Shobukhova, de 38 anos, foi suspensa inicialmente por três anos por terem sido detetadas irregularidades no seu passaporte biológico, pena que foi reduzida para sete meses.

Em Londres, a maratonista tinha vencido a prova de 2010 e tinah sido segunda classificada em 2011. Além dos resultados obtidos na capital inglesa, Shobukhova viu também serem apagadas as suas vitórias na maratona de Chicago em 2009, 2010 e 2011.

Apesar da decisão do tribunal, diculgada hoje, a organização da maratona de Londres terá de esperar que a pena seja aplicada na Rússia.

"Será um longo e difícil processo, mas vamos continuar, estamos determinados em que os batoteiros não tirem dividendos", disse o diretor-executivo da maratona londrina, Nick Bitel, explicando que o dinheiro será redistribuído aos atletas prejudicados.

O responsável justificou que atualmente os maratonistas enfrentam um maior escrutínio em matéria de controlos antidoping e não apenas pela Associação das Federações Internacionais de Atletismo (IAAF).

"Além dos testes da IAAF e das federações nacionais, a organização das maratonas mundiais tem um dos maiores grupos privados de testes, com 150 atletas a serem controlados fora de competição, num mínimo de seis vezes ao ano", referiu.

Shobukhova é a atleta no centro das alegações contra Papa Missata Diack, o filho fugitivo do antigo presidente da IAAF Lamine Diack, em que ele e outros oficiais da federação terão chantageado a russa em 450.000 euros, para que pudesse competir nos Jogos de Londres2012 depois de um controlo positivo.

Lusa

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.