sicnot

Perfil

Desporto

Atleta russa condenada a devolver meio milhão de euros a Londres

A atleta russa Liliya Shobukhova terá de devolver 400 mil libras (cerca de 476 mil euros) à maratona de Londres, pela anulação dos resultados obtidos na corrida londrina, devido à suspensão por doping, determinou hoje um tribunal britânico.

© Paul Hackett / Reuters

Shobukhova, de 38 anos, foi suspensa inicialmente por três anos por terem sido detetadas irregularidades no seu passaporte biológico, pena que foi reduzida para sete meses.

Em Londres, a maratonista tinha vencido a prova de 2010 e tinah sido segunda classificada em 2011. Além dos resultados obtidos na capital inglesa, Shobukhova viu também serem apagadas as suas vitórias na maratona de Chicago em 2009, 2010 e 2011.

Apesar da decisão do tribunal, diculgada hoje, a organização da maratona de Londres terá de esperar que a pena seja aplicada na Rússia.

"Será um longo e difícil processo, mas vamos continuar, estamos determinados em que os batoteiros não tirem dividendos", disse o diretor-executivo da maratona londrina, Nick Bitel, explicando que o dinheiro será redistribuído aos atletas prejudicados.

O responsável justificou que atualmente os maratonistas enfrentam um maior escrutínio em matéria de controlos antidoping e não apenas pela Associação das Federações Internacionais de Atletismo (IAAF).

"Além dos testes da IAAF e das federações nacionais, a organização das maratonas mundiais tem um dos maiores grupos privados de testes, com 150 atletas a serem controlados fora de competição, num mínimo de seis vezes ao ano", referiu.

Shobukhova é a atleta no centro das alegações contra Papa Missata Diack, o filho fugitivo do antigo presidente da IAAF Lamine Diack, em que ele e outros oficiais da federação terão chantageado a russa em 450.000 euros, para que pudesse competir nos Jogos de Londres2012 depois de um controlo positivo.

Lusa

  • Ronaldo terá colocado milhões de euros nas Ilhas Virgens britânicas
    4:15

    Desporto

    José Mourinho e Cristiano Ronaldo são apenas dois dos nomes da maior fuga de informação na história do desporto. A plataforma informática Football Leaks forneceu milhões de documentos à revista alemã Der Spiegel, entre os quais documentos que indicam que o capitão da seleção nacional terá colocado milhões de euros da publicidade nas Ilhas Virgens britânicas. Os dados foram analisados por um consórcio de 60 jornalistas, do qual o Expresso faz parte, numa investigação que pode ler este sábado no semanário ou ainda esta sexta-feira, em formato online.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.