sicnot

Perfil

Desporto

Atleta russa condenada a devolver meio milhão de euros a Londres

A atleta russa Liliya Shobukhova terá de devolver 400 mil libras (cerca de 476 mil euros) à maratona de Londres, pela anulação dos resultados obtidos na corrida londrina, devido à suspensão por doping, determinou hoje um tribunal britânico.

© Paul Hackett / Reuters

Shobukhova, de 38 anos, foi suspensa inicialmente por três anos por terem sido detetadas irregularidades no seu passaporte biológico, pena que foi reduzida para sete meses.

Em Londres, a maratonista tinha vencido a prova de 2010 e tinah sido segunda classificada em 2011. Além dos resultados obtidos na capital inglesa, Shobukhova viu também serem apagadas as suas vitórias na maratona de Chicago em 2009, 2010 e 2011.

Apesar da decisão do tribunal, diculgada hoje, a organização da maratona de Londres terá de esperar que a pena seja aplicada na Rússia.

"Será um longo e difícil processo, mas vamos continuar, estamos determinados em que os batoteiros não tirem dividendos", disse o diretor-executivo da maratona londrina, Nick Bitel, explicando que o dinheiro será redistribuído aos atletas prejudicados.

O responsável justificou que atualmente os maratonistas enfrentam um maior escrutínio em matéria de controlos antidoping e não apenas pela Associação das Federações Internacionais de Atletismo (IAAF).

"Além dos testes da IAAF e das federações nacionais, a organização das maratonas mundiais tem um dos maiores grupos privados de testes, com 150 atletas a serem controlados fora de competição, num mínimo de seis vezes ao ano", referiu.

Shobukhova é a atleta no centro das alegações contra Papa Missata Diack, o filho fugitivo do antigo presidente da IAAF Lamine Diack, em que ele e outros oficiais da federação terão chantageado a russa em 450.000 euros, para que pudesse competir nos Jogos de Londres2012 depois de um controlo positivo.

Lusa

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.