sicnot

Perfil

Desporto

Selecionador do Uruguai admite doença que lhe afeta os movimentos

O selecionador uruguaio, Óscar Tabárez, afirmou hoje, à imprensa do seu país, que se encontra bem de saúde, admitindo que padece de uma neuropatia que afeta os seus movimentos.

© Andres Stapff / Reuters

"Não digo muito bem, mas estou bastante bem", disse o técnico, em declarações difundidas pelo periódico Subrayado, ao qual negou ser vítima da síndrome Guillain-Barré, embora se desloque, há dias, numa cadeira de rodas eletrónica.

Guillain-Barré é um transtorno neurológico que faz com que o sistema imunitário ataque uma parte do sistema nervoso, algo de que Tabárez, de 69 anos de idade, diz não ser vítima: "Sofro de uma doença crónica, estou um pouco melhor, embora tenha oscilações na saúde."

"Se chegar o momento em que isso possa afetar o meu relacionamento com os jogadores ou algo do género, ponderarei afastar-me, mas isso nunca aconteceu", esclareceu, depois de ter dirigido o Uruguai com a ajuda de muletas, frente ao Brasil e Peru, em jogos de qualificação para o Mundial Rússia2018.

Lusa

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.