sicnot

Perfil

Desporto

Benfica compra metade do passe de Jimenez por 12 milhões de euros

​O Benfica anunciou hoje a compra de 50% do passe do avançado Raul Jimenez, por 12 milhões de euros (ME), passando a deter a totalidade dos direitos do futebolista mexicano.

© Reuters Staff / Reuters

"A Sport Lisboa e Benfica -- Futebol, SAD, em cumprimento do disposto no artigo 248.º do Código dos Valores Mobiliários, vem informar que adquiriu os restantes 50% dos direitos económicos do atleta Raúl Alonso Jiménez Rodríguez que remanesciam na titularidade do Club Atlético de Madrid SAD pelo valor de 12 milhões de euros", lê-se no comunicado dos encarnados.

De acordo com o relatório do primeiro semestre da SAD do Benfica, o clube da luz tinha pago, no início da temporada passada, cerca de 10 milhões de euros por metade do passe.

Com uma transferência total de quase 22 milhões, o mexicano torna-se assim na contratação mais cara da história do futebol português, ultrapassando o francês Imbula, contratado pelo FC Porto, por 20 milhões de euros.

Na última época, Raul Jimenez, de 25 anos, fez 45 jogos pelo Benfica e marcou 12 golos.

Lusa

  • Reportagem Especial dá a voz aos despedidos da banca
    1:18
  • CEMGFA admite que várias armas roubadas estão em condições de ser usadas
    2:06

    Assalto em Tancos

    Afinal há várias armas roubadas em Tancos que estão em condições de ser utilizadas, sendo que apenas os lança-granadas-foguete estão obsoletos. Esta manhã, o general Pina Monteiro admitiu, no Parlamento, que a declaração que fez há duas semanas pode ter induzido em erro a opinião pública. O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) diz, ainda, que se houvesse indícios sobre colaboração do Exército neste caso, os suspeitos estariam presos.

  • Pais de Charlie Gard querem que o bebé morra em casa

    Mundo

    Depois de terem renunciado à batalha judicial para manterem o filho com vida, os pais do bebé britânico Charlie Gard desejam agora levar a criança para morrer em casa. O desejo foi revelado pelo advogado de Chris Gard e Connie Yates, numa audiência esta tarde, no Supremo Tribunal de Londres. Contudo, o hospital responsável pelo caso admite que os cuidados a Charlie não podem ser feitos em casa.