sicnot

Perfil

Desporto

Cristiano Ronaldo dá nome a aeroporto da Madeira

O Governo Regional da Madeira decidiu atribuir o nome do futebolista Cristiano Ronaldo ao aeroporto do Funchal. O anúncio foi feito pelo presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, como forma de agradecer a visibilidade dada à região pelo futebolista.

"O Governo ontem [quinta-feira] decidiu atribuir o ao aeroporto da Madeira o nome de Cristiano Ronaldo", anunciou, na cerimónia de inauguração do primeiro hotel do internacional português, com a marca Pestana CR7 Lifestyle Hotels - Pestana CR7 Funchal, numa pareceria com o Grupo Pestana do hoteleiro Dionísio Pestana.

Presente na cerimónia, o capitão da seleção admitiu a estranheza de ser agora também um empresário hoteleiro mas mostrou-se satisfeito por este novo projeto empresarial começar na sua terra.

"Foi aqui que tudo começou", disse o jogador, emocionado.

Para Miguel Albuquerque, o projeto constitui uma "parceria feliz: o maior hoteleiro português e o melhor jogador do mundo só pode dar sucesso.

A secretária de Estado Regional do Turismo, Ana Mendes Godinho, agradeceu ao empresário e ao futebolista por investir em Portugal e "por mostrar o país ao mundo".

Dionísio Pestana realçou que o que une os dois investidores é "a paixão por fazer projetos vencedores", adiantando que o primeiro investimento teria de ser na Madeira: "nossa terra natal".

Por seu lado, o presidente da Câmara Municipal do Funchal, Paulo Cafofo, elogiou a ambição do projeto. "Quando temos duas grandes marcas, dois grandes homens, está feita a perfeição", disse.

Milhares de pessoas assistiram à inauguração do hotel e o largo à sua volta passa a ser chamado Praça CR7, substituindo a antiga designação de Praça do Mar.

O hotel, que é contíguo ao Museu CR7, abriu ao público a 01 de julho mas só hoje o capitão da seleção portuguesa inaugurou, pessoalmente a sua parceria com o Grupo Pestana, depois de ter participado na campanha vitoriosa de Portugal do Campeonato Europeu de Futebol de 2016.

A marca Pestana CR7 Lifestyle Hotels prevê a abertura de quatro unidades: Porto do Funchal, Baixa de Lisboa, Gran Via em Madrid e Nova Iorque (perto de Times Square).

Ao Pestana CR7 Funchal, que abriu ao público no dia 1 de julho, segue-se a unidade de Lisboa, com abertura prevista para o terceiro trimestre deste ano. Madrid e Nova Iorque são projetos a concretizar em 2017.

Com estas novas inaugurações, o Pestana Hotel Group ultrapassa a fasquia das 90 unidades em 15 países.

A sociedade é detida em partes iguais pelo jogador e pelo grupo hoteleiro, mas cabe ao Pestana Hotel Group a gestão operacional do negócio.

O investimento global nas quatro unidades será de 75 milhões de euros.

O hotel no Funchal, com apenas um piso, tem 49 quartos e a suíte Cristiano Ronaldo, sendo o edifício dividido por um corredor com cerca de 100 metros, onde se "respira" futebol, pois tem afixado na parede uma camisola do CR7, a alcatifa é verde e as luzes no chão são inspiradas nas linhas de um campo de futebol.

Em todos os quartos, decorados em tons cinza, existem quadros em banda desenhada de Mário Linhares, que representam várias etapas da vida do jogador, como a localidade onde nasceu, a sua passagem pelo Clube Andorinha, pelo Sporting, Manchester, Real Madrid, as bolas e botas de ouro, a condecoração pela Região Autónoma da Madeira, a família, acabando com uma de Ronaldo olhando para o futuro. Também não faltam almofadas com imagens de bananas e as casas de banho recriam o ambiente de um balneário.

O grupo Pestana vai investir 170 milhões de euros em cinco anos em 20 novos projetos, metade dos quais em Portugal e os restantes nas principais cidades europeias, nos EUA e na América do Sul.

Segundo a lista anual da Hotels Magazine, publicação líder no setor da hotelaria a nível global, o grupo Pestana ocupava em 2014 a 125.ª posição no 'ranking' dos maiores grupos hoteleiros do mundo e a 31.ª no contexto europeu.

Atualmente está presente em 15 países de três continentes com um total de 87 unidades, cerca de 11.000 quartos e mais de 7.000 colaboradores, com um volume de negócios na ordem dos 400 milhões de euros, 68,1% da atividade concentrada na hotelaria e ativos sob gestão avaliados em 1,1 mil milhões de euros.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.