sicnot

Perfil

Desporto

Hamilton vence GP da Hungria e assume liderança do Mundial de Fórmula 1

© Laszlo Balogh / Reuters

O piloto britânico Lewis Hamilton (Mercedes), bicampeão do mundo de Fórmula 1 em exercício, venceu hoje o Grande Prémio da Hungria, 11.ª prova do Mundial, assumindo a liderança do campeonato de 2016 da categoria rainha do desporto automóvel.

Hamilton, que estabeleceu um novo recorde de triunfos no circuito de Hungaroring, ao impor-se pela quinta vez, completou as 70 voltas da corrida em 1:40.30,115 horas (média de 183,059 km/h), batendo por 1,977 segundos o alemão Nico Rosberg e desalojando o colega de equipa do comando do Mundial de pilotos.

O britânico, que já conquistou três títulos na disciplina rainha do desporto automóvel (2008, 2014 e 2015), passou a deter seis pontos de vantagem sobre Rosberg, detentor da 'pole position' na Hungria, após uma corrida em que o australiano Daniel Ricciardo (Red Bull) foi terceiro classificado, a 27,539 segundos de Hamilton.

Lusa

  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.