sicnot

Perfil

Desporto

Gastão Elias pela primeira vez entre os 70 melhores tenistas do mundo

(Arquivo)

Lusa

O português Gastão Elias entrou hoje pela primeira vez para o lote dos 70 melhores tenistas do mundo, ao subir ao 64.º lugar do ranking, no qual João Sousa continua a ser o melhor luso, no 36.º posto.

Depois de ter chegado pela segunda semana consecutiva a uma meia-final do circuito ATP, desta feita em Umag, na Croácia, o tenista da Lourinhã subiu oito lugares na hierarquia mundial, enquanto João Sousa, eliminado nos quartos da mesma prova, caiu quatro posições.

Pedro Sousa é o terceiro português no ranking, tendo subido 25 posições, para o 233.º lugar, e Frederico Silva ascendeu ao 249.º posto.

O top-10 mantém-se inalterado, com o sérvio Novak Djokovic na frente, seguido do britânico Andy Murray e do suíço Roger Federer.

No setor feminino, Michelle Brito subiu para a 245.ª posição, num ranking que continua a ser liderado pela norte-americana Serena Williams, à frente da alemã Angelique Kerber e da espanhola Garbine Muguruza.

No top-10, a norte-americana Venus Williams subiu ao sexto lugar, por troca com a bielorrussa Victoria Azarenka, depois de chegar à final de Stanford, que perdeu para a britânica Johanna Konta, nova número 14 mundial.


Lusa

  • "A nossa lei tem demasiados buracos"
    0:44

    País

    Rui Cardoso acusa a classe política de não querer resolver os problemas da corrupção em Portugal. Entrevistado na Edição da Noite da SIC Notícias o magistrado do Ministério Público considera que ainda há um longo caminho a percorrer no combate à corrupção.

  • Beyoncé e a irmã caem e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.