sicnot

Perfil

Desporto

Paulo Bento deixa comando técnico do Cruzeiro

© Maxim Shemetov / Reuters

O português Paulo Bento deixou hoje o comando técnico do Cruzeiro, penúltimo classificado do Campeonato Brasileiro de futebol, anunciou hoje o clube de Belo Horizonte.

"Paulo Bento não é mais o treinador do Cruzeiro. A decisão sobre a saída do profissional foi tomada numa reunião pelo presidente Gilvan de Pinho Tavares. Com Paulo Bento deixam também o clube os quatro profissionais que fazem parte da comissão técnica do treinador", lê-se num comunicado na página oficial do clube.

No domingo, o Cruzeiro somou a terceira derrota consecutiva no Brasileirão, ao perder em casa com o Sport Recife, por 2-1.

Este foi o quinto encontro consecutivo do Cruzeiro sem vitórias no campeonato, com o conjunto mineiro, que só tem uma vitória em casa, a seguir na 19.ª e penúltima posição, com 15 pontos, apenas à frente do América Mineiro, treinado pelo português Sérgio Vieira.

Paulo Bento chegou ao Cruzeiro no início do campeonato e orientou a "raposa" em 17 encontros, nos quais sofreu oito derrotas e somou seis vitórias e três empates.

A passagem pelo Cruzeiro foi a primeira experiência de Paulo Bento após ter deixado a seleção portuguesa, no final de 2014.

Lusa

  • "Joguem à bola"
    1:35

    Desporto

    Cerca de uma centena de adeptos do Sporting esperaram até perto das 3:00 pela chegada da equipa ao estádio de Alvalade. Depois da eliminação da Taça de Portugal, em Chaves, foi necessário o reforço policial para garantir a segurança da comitiva leonina.

  • Acordo de concertação social assinado por todos os parceiros

    Economia

    Está assinado o acordo da Concertação Social que estipula a descida da TSU para as empresas como contrapartida do aumento do salário mínimo. Ao contrário do que é habitual, o momento não foi assinalado na sede do Conselho Económico e Social (CES), mas as assinaturas foram dvulgadas no Twitter.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.