sicnot

Perfil

Desporto

Éder já regressou ao Lille

Éder já regressou ao Lille

Éder já voltou ao trabalho no Lille. O avançado português regressou ao fim de duas semanas de férias, depois marcar o golo do título europeu em França. Agora, garante que também vai ser decisivo para as vitórias da equipa francesa.

  • Éder homenageado em Coimbra
    1:42

    Desporto

    Éder regressou ontem a Coimbra, onde foi homenageado no salão nobre da Câmara Municipal. O avançado que marcou o golo da final Euro 2016 foi recebido por centenas de pessoas, que queriam um autógrafo, uma fotografia ou apenas dar-lhe os parabéns. Éder agradeceu a quem o ajudou a crescer como pessoa e jogador.

  • Éder, o herói improvável, em 2 minutos
    2:01

    Euro 2016

    Éder acredita que, com o tempo, o povo francês vai reconhecer que Portugal foi merecedor do título europeu. No Jornal da Noite da SIC, o jogador da selecção explicou o porquê de usar uma luva branca e contou ainda como foi marcar o golo que deu a Portugal o título de campeão europeu.

  • "Eles vão perceber que somos justos vencedores"
    11:32

    Euro 2016

    Éder esteve esta quarta-feira no Jornal da Noite da SIC, onde foi entrevistado pela jornalista Clara de Sousa. O campeão europeu admite que foi "complicado ouvir e ler certas coisas na fase inicial", mas garante que conseguiu ultrapassar "para continuar a caminhada". Éder trouxe a chuteira com que marcou o golo que deu a Portugal o campeonato europeu e explica o momento: "ameaço o remate, até que a brecha aparece". O internacional português falou ainda sobre Cristiano Ronaldo e o que disseram um ao outro sobre o golo. Explicou o motivo da luva branca, que guarda na caneleira. Éder disse ainda que foi difícil para a França digerir o resultado, mas acredita que "eles vão perceber que somos justos vencedores". Veja aqui a entrevista completa de Éder.

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalaram-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.