sicnot

Perfil

Desporto

Daniel Mestre defende camisola amarela na estreia do salto de Fafe

NUNO VEIGA

Daniel Mestre (Efapel) defende hoje a sua liderança nos 160 quilómetros da segunda etapa da 78.ª Volta a Portugal em bicicleta, entre Viana do Castelo e Fafe, onde a meta é antecedida pelo emblemático salto percorrido nos ralis.

O corredor português, natural de Almodôvar, chegou ao topo da classificação geral ao vencer a primeira tirada na quinta-feira, em Braga, depois de ter sido quarto no prólogo, dispondo de seis segundos de vantagem sobre José Gonçalves (Caja Rural) e de nove para o seu chefe de fila Jóni Brandão, segundo e terceiro classificados, respetivamente.

O pelotão vai iniciar os 160 quilómetros da segunda etapa em linha às 13:00, na Avenida Marginal de Viana do Castelo, rumo a Fafe, onde, mais uma vez, cruza por duas vezes a meta, antes da chegada prevista para as 17:21, depois de enfrentar o Salto da Pedra Sentada, com um prémio de montanha de segunda categoria (142 km).

O habitualmente espetacular 'palco' do Rali de Portugal, no troço da Lameirinha, antecede, com os cerca de 2,2 quilómetros em estrada de terra, a descida para a meta, instalada na Praça 25 de Abril de Fafe.

Ao longo da jornada, os 142 corredores que terminaram a primeira tirada -- o dinamarquês Frederik Zeuner (Christina Jewelry) foi o primeiro desistente após uma queda -- vão enfrentar outras três contagens do prémio de montanha, uma de quarta categoria, no Alto de Covide (69,1 km), outra de segunda, em Caniçada (84,2), e uma de quarta, em Golães (125).

Até à previsível chegada ao 'sprint' em Fafe, os elementos mais velozes podem testar a prontidão em três metas volantes, a primeira em Barroselas (10,3), terra natal do chefe de fila da Rádio Popular-Boavista, Rui Sousa, seguindo-se Terras de Bouro (58,5) e outra já na malha urbana fafense (128,8).

Lusa

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
    Contas Poupança

    Contas Poupança

    4ª FEIRA JORNAL DA NOITE

    Chamar o médico a casa é um procedimento habitual para muitas famílias, mas chamar um enfermeiro a casa é menos comum. Uma portuguesa criou um sistema inovador no mundo em que pode chamar um enfermeiro a casa através da internet ou de uma aplicação para telemóvel com os mesmos preços em todo o país e sem mensalidades. Só paga o serviço que utilizar. O Contas Poupança foi conhecer os preços e comparar para ver se compensa.