sicnot

Perfil

Desporto

José Manuel Constantino vai ponderar recandidatura no final do ciclo olímpico

MARIO CRUZ

José Manuel Constantino assumiu à agência Lusa que só vai decidir sobre uma eventual recandidatura à presidência do Comité Olímpico de Portugal (COP) quando terminar o ciclo olímpico do Rio2016.

"Ponderarei após a conclusão do meu trabalho. Os cargos no COP não são um emprego, são uma missão, são um serviço. E ser presidente não é uma profissão, é uma missão. Concluído que esteja o ciclo de trabalho com o qual me comprometi, avaliarei as circunstâncias e decidirei em conformidade", concluiu.

José Manuel Constantino sucedeu a Vicente Moura na presidência do Comité Olímpico de Portugal em março de 2013, tornando-se no 11.º presidente da entidade máxima do desporto em Portugal, fundada em 26 de outubro de 1909.

Lusa

  • Negócios do fogo
    22:00

    Reportagem Especial

    Todos os anos, o Estado gasta centenas de milhões de euros para financiar os meios de combate aos incêndios. A reportagem especial da SIC denuncia falta de rigor e clareza em muitos dos negócios.

  • Porque têm as tempestades nomes?
    0:49

    País

    As tempestades passaram a ter um nome, partilhado pelos serviços de meteorologia de Portugal, França e Espanha. Nuno Moreira, chefe de divisão de previsão meteorológica do IPMA, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias para explicar que este método é também uma forma de sinalizar a dimensão das tempestades.

  • "Não podemos gastar o dinheiro e depois os filhos e os netos é que pagam"
    2:05

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no habitual espaço de comentário no Jornal da Noite, o reembolso antecipado ao FMI. O comentador da SIC defendeu que seria mais vantajoso se Portugal reembolsasse mais depressa, antes da subida das taxas de juro. Miguel Sousa Tavares considerou ainda que o reembolso da dívida é uma boa notícia, pois seria "desleal" deixar a dívida para "os filhos e os netos" pagarem.

    Miguel Sousa Tavares

  • Os efeitos da tempestade Ana em Portugal
    1:43
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59

    Mundo

    A tempestade Ana não causou apenas estragos em Portugal, mas também na Galiza, com a queda de árvores e cheias nas zonas ribeirinhas. No norte da Europa, as baixas temperaturas provocaram fortes nevões e paralisaram a Grã-Bretanha, com voos cancelados, escolas fechadas e estradas cortadas.