sicnot

Perfil

Desporto

FPF destaca "enorme perda para o desporto português"

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, classificou a morte de Moniz Pereira "uma enorme perda para o desporto português".

"Grande símbolo do ecletismo e do Sporting, foi um praticante destacado de diversas modalidades, com particular destaque para o voleibol e atletismo. Um incomparável professor. Um treinador fazedor de grandes campeões, além de um dirigente histórico do Desporto português", disse o dirigente.

Em comunicado no site da FPF, Fernando Gomes elogia um "homem de vivências incomparáveis, adepto do futebol, que também praticou, e que aliava aos conhecimentos profissionais uma classe que sempre o distinguiu e às instituições que serviu".

"À sua família, amigos e colegas, ao Sporting Clube de Portugal e à Federação Portuguesa de Atletismo envio, em meu nome e em nome de toda a família do futebol, as minhas mais sentidas condolências", conclui.

Moniz Pereira morreu hoje aos 95 anos, depois de uma vida dedicada ao atletismo e ao Sporting, que representou como dirigente, treinador e atleta.

Lusa

  • Morreu Moniz Pereira aos 95 anos

    Desporto

    Morreu o professor, desportista, atleta e treinador Moniz Pereira. O senhor atletismo tinha 95 anos. Moniz Pereira dedicou a vida ao desporto nacional e sobretudo ao atletismo de alta competição.

  • O perfil do "velho leão" do atletismo

    Desporto

    A história da vida de Moniz Pereira, noventa e cinco anos "bem vividos", confunde-se com a do atletismo, que amava como ninguém, e também com a do fado. Mesmo depois de fazer "quatro vezes vinte mais dez", como gostava de dizer, manteve o sorriso de felicidade e citava o refrão do fado que o celebrizou: "Valeu a pena".

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.