sicnot

Perfil

Desporto

Marcelo Rebelo de Sousa lamenta morte de "glória do atletismo nacional"

O Presidente da República lamentou a morte do professor Moniz Pereira, definindo-o como um "homem bom", com vida de devoção "ao desporto e aos desportistas" e uma "glória do atletismo" em Portugal.

"Foi com muita emoção que o Presidente da República tomou conhecimento do falecimento do professor Moniz Pereira. Era um Homem Bom, que deixa uma vida repleta de bons exemplos, de devoção ao Desporto e aos desportistas, tendo ele próprio sido uma glória do atletismo nacional", refere um comunicado da presidência enviado à agência Lusa.

"Na véspera dos Jogos Olímpicos, o seu exemplo reforça ainda mais a vontade de todos os desportistas nacionais de se superarem e obterem resultados que o honrem e o recordem como grande motivador do nível que o nosso atletismo e nosso desporto têm atingido", assinala o texto.

Marcelo Rebelo de Sousa sublinha "que em todos os que, ao longo dos anos, tiveram o privilégio de o conhecer, deixa o tesouro de uma memória calorosa e dedicada", antes de apresentar "sentidas condolências" à sua família, à Federação Portuguesa de Atletismo e a todos os amigos.

Moniz Pereira, antigo treinador de Carlos Lopes, medalha de ouro em Los Angeles1984, morreu hoje aos 95 anos, anunciou no final da tarde através do Facebook o Sporting Clube de Portugal, que representou como dirigente, treinador e atleta.

Lusa

  • Morreu Moniz Pereira aos 95 anos

    Desporto

    Morreu o professor, desportista, atleta e treinador Moniz Pereira. O senhor atletismo tinha 95 anos. Moniz Pereira dedicou a vida ao desporto nacional e sobretudo ao atletismo de alta competição.

  • A fuga dos PIDES
    20:08
  • Dominado incêncio no centro de tratamento de resíduos da Tratolixo
    1:55

    País

    O fogo na Tratolixo, em Trajouce, deflagrou esta segunda-feira à noite. As chamas foram controladas a meio da manhã pelos bombeiros. No local estão 133 operacionais, apoiados por 51 veículos. O fogo não fez vítimas nem danos materiais. O vento dificultou o combate às chamas.

  • Duas execuções no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.