sicnot

Perfil

Desporto

O perfil do "velho leão" do atletismo

A história da vida de Moniz Pereira, noventa e cinco anos "bem vividos", confunde-se com a do atletismo, que amava como ninguém, e também com a do fado. Mesmo depois de fazer "quatro vezes vinte mais dez", como gostava de dizer, manteve o sorriso de felicidade e citava o refrão do fado que o celebrizou: "Valeu a pena".

Nos últimos anos, o ritmo de trabalho deixou de ser tão frenético e praticamente já não saia de casa, no bairro de São Miguel, em Lisboa. Quase se desligou do atletismo e teve tempo para voltar a ouvir música, como fado, de que era talentoso cultor. Um dos seus sucessos é o "Valeu a pena", que Maria da Fé celebrizou.

"Sempre fiz o que gosto com muita felicidade", assegurava aquele que Manuel Sérgio chamou de "maior treinador de todos os tempos". E o caso não é para menos: 'fez' oito campeões de nível mundial e olímpico, a começar pelo lendário Carlos Lopes.

A 'chama' do ´velho leão', que Carlos Lopes abraçou logo que se sagrou campeão olímpico da maratona, em 1984, em Los Angeles, apagou-se hoje, suavemente, em casa.

Mário Moniz Pereira, nascido a 11 de Fevereiro de 1921, em Lisboa, foi a referência do atletismo nacional no pós-guerra, especialmente depois do 25 de Abril. Sempre ao serviço do Sporting, de que era sócio número 2, e muitas vezes com a 'camisola das quinas'. Mas, fazendo da defesa do atletismo uma constante, próxima da intransigência.

Pelo Sporting foi, sucessivamente, atleta, seccionista, treinador e, por fim, vice-presidente, a partir da direção de Santana Lopes.

Acabado o Liceu, entrou para o INEF, actual Faculdade de Motricidade Humana. Já depois da II Guerra Mundial, dava aulas como assistente e iniciava os primeiros passos como treinador no clube.

O contacto com o estrangeiro, a partir de 1948, deu-lhe experiência. Aprender, sempre, era o seu lema.

A consagração, só veio depois de 1974, após muitos anos de luta e quando já centenas de atletas lhe tinham passado pelas mãos.

Conseguiu para os seus atletas a dispensa de meio dia de trabalho e isso foi o arranque para uma verdadeira "avalanche" de sucessos, com destaque para os títulos olímpicos e os recordes mundiais.

Duro e exigente no dia-a-dia, a ponto de ganhar fama de obstinado e fanático, era venerado por quase todos que com ele trabalharam.

Uma coisa não se lhe podia negar: o empenho militante com que defendia os interesses da modalidade, em contraposição com o futebol.

Portugal vive numa "ditadura futebolística", dizia para quem o quisesse ouvir... ele que até foi preparador físico da seleção nacional e muitas vezes era visto na tribuna da direção 'leonina', a assistir a jogos do 'desporto-rei'.

Irónico, mordaz, espírito vivo, apadrinhou iniciativas como a Associação de Amizade Portugal-Portugal, uma humorada 'resposta' às associações de amizade que profileraram a seguir à 'revolução dos cravos'.

O comando direto do atletismo do Sporting deixou-o após Barcelona´92. Mas o 'senhor atletismo' - como já era chamado - não esqueceu a sua velha paixão. No seu gabinete na sede do 'leão' continuava a preencher os seus caderninhos de registo de resultados, instrumento de trabalho inseparável desde há décadas. E a seguir tudo o que se passava na modalidade.

De vez em quando, descia à pista, afastava com diplomacia o treinador e dava o treino, cronómetro na mão, como nos velhos tempos. E nos bastidores, tudo passava por ele e analisava ao pormenor os adversários do Sporting, decidindo em última instância quem competia.

Quando já lhe faltavam as forças para ir até ao estádio, teve o prazer de ver o atletismo do seu clube de sempre ser assumido por um dos seus discípulos principais - Carlos Lopes, com que conquistou duas medalhas olímpicas.

Lusa

  • Morreu Moniz Pereira aos 95 anos

    Desporto

    Morreu o professor, desportista, atleta e treinador Moniz Pereira. O senhor atletismo tinha 95 anos. Moniz Pereira dedicou a vida ao desporto nacional e sobretudo ao atletismo de alta competição.

  • Relatório pedido pelo Governo PSD-CDS já apontava falhas no SIRESP
    2:26
  • FC Porto acusa Benfica de recorrer a serviços de "bruxaria"
    2:34

    Desporto

    Francisco J. Marques acusou o Benfica de recorrer a "bruxaria". O diretor de comunicação do FC Porto revelou uma troca de e-mails entre Luís Filipe Vieira e Armando Nhaga, suposto comissário nacional da polícia da Guiné-Bissau com a celebração de um contrato de prestação de serviços.

  • Francisco J. Marques promete continuar a revelar e-mails
    2:11

    Desporto

    Francisco J. Marques diz que a Polícia Judiciária sabe como o Futebol Clube do Porto teve acesso aos e-mails e desafia o Benfica a revelar os originais. O diretor de comunicação do clube portista revelou ainda que irá continuar a divulgar e-mails, já que isso não é incompatível com o segredo de Justiça.

  • Confirmada prisão dos portugueses que gravaram nome no portão de Auschwitz

    Mundo

    Dois adolescentes católicos portugueses foram condenados a um ano de prisão com pena suspensa, por terem gravado os nomes na porta da entrada principal de Auschwitz-Birkenau. O tribunal de primeira instância de Oswiecim já tinha condenado os jovens e o tribunal de Cracóvia confirmou esta quarta-feira a pena aplicada.

  • Temer pode cair menos de um ano depois da queda de Dilma
    3:06
  • Imagens do resgate de crianças feridas num bombardeamento na Síria
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos acusam o regime sírio de estar a preparar um novo ataque químico e avisam Bashar al-Assad que vai pagar caro se o concretizar. No terreno, os ataques aéreos continuam a fazer vítimas civis. Da periferia de Damasco chegam imagens dramáticas do resgate de duas crianças feridas num bombardeamento.

  • Quem é a mulher que diz ser filha de Salvador Dalí

    Cultura

    Maria Pilar Abel Martínez nasceu em 1956 e será o alegado fruto de um caso entre a sua mãe e Salvador Dalí. Um tribunal de Madrid ordenou a exumação do cadáver do pintor e a obtenção de amostras, de modo a determinar se a mulher espanhola é mesmo filha de Dalí.

  • Mulher atira moedas para o motor do avião por superstição

    Mundo

    As superstições levam as pessoas a fazer coisas bizarras e até, mesmo, perigosas. Este foi o caso de uma mulher chinesa que decidiu atirar moedas para o motor de um avião, para garantir boa sorte na viagem, que estava prestes a fazer. Contudo, a ação obrigou ao atraso do voo que partia de Xangai, numa companhia aérea chinesa.

  • Modelo italiana atacada com ácido volta ao trabalho

    Mundo

    Gessica Notaro, antiga concorrente do concurso Miss Itália, já regressou ao trabalho como treinadora de leões marinhos, cinco meses depois de ter sido atacada com ácido, alegadamento pelo ex-namorado, Jorge Edson Tavares. Gessica Notaro diz que quer inspirar e encorajar outras mulheres a lutar contra o assédio e o bullying nas relações.