sicnot

Perfil

Desporto

Sprinters voltam a ter 'palco' na chegada a Castelo Branco

NUNO VEIGA

Os sprinters vão ter hoje uma nova oportunidade para discutir a vitória numa etapa na 78.ª Volta a Portugal em bicicleta, na chegada a Castelo Branco, ponto final da sétima tirada.

Após a dupla passagem pela Torre da etapa-rainha, Rui Vinhas (W52-FC Porto) defende o primeiro lugar da classificação geral na viagem de 182 quilómetros entre Figueira de Castelo Rodrigo e Castelo Branco.

Vinhas vai partir do Largo Serpa Pinto, de Figueira de Castelo Rodrigo, às 12:45, com a camisola de líder, secundado pelo espanhol e companheiro de equipa Gustavo Veloso, vencedor da prova em 2014 e 2015 e de duas etapas na presente edição, no alto da Senhora da Graça, em Mondim de Basto, e na Guarda.

O duo 'azul e branco' é agora perseguido por Daniel Silva (Rádio Popular-Boavista), cujo segundo lugar de quarta-feira lhe valeu a subida ao pódio, a 2.53 de Vinhas, e Jóni Brandão, que 'caiu' para o quarto posto, a 3.13, depois de se ter aventurado em solitário na segunda subida ao ponto mais alto de Portugal continental.

Numa tirada sem montanha, os velocistas podem ter nova oportunidade para 'brilhar' na Avenida Nuno Alvares, em Castelo Branco, onde os primeiros devem cruzar a meta pela segunda e última vez por volta das 17:30, depois da disputa das metas volantes em Almeida (17,2 quilómetros), Sabugal (67,2) e Castelo Branco (153,6).

Lusa

  • Dois jovens atropelados mortalmente no concelho de Montemor-o-Velho
    2:20
  • Presidente de "O Sonho" suspeito de peculato e fraude
    2:26

    País

    O presidente das três instituições de solidariedade social de Setúbal - incluindo "O Sonho" -, que na sexta-feira foram alvo de buscas, foi constituído arguido. Florival Cardoso é, por enquanto, o único suspeito de peculato e fraude na obtenção de subsídios para as instituições.

  • Manifestação contra mina de urânio junta milhares em Salamanca
    1:39
  • Assalto a Tancos e roubo de armas da PSP podem estar relacionados
    1:24

    País

    O assalto a Tancos e o roubo de armas da PSP, três recuperadas na semana passada, podem estar relacionados. O semanário Expresso avançou este sábado que há suspeitos de terem participado nos dois assaltos e o grupo, ou parte dele, atua principalmente do Algarve, com possíveis ligações a outras organizações espalhadas pelo país ou até transacionais.

  • Cessar-fogo de 30 dias na Síria
    2:07