sicnot

Perfil

Desporto

Beto regressa ao Sporting

LU\303\215S FORRA

O futebolista internacional português Beto, anunciado como reforço para a baliza do Sporting, manifestou-se satisfeito pelo regresso à "casa-mãe", prometendo ajudar a equipa a lutar pela conquista de troféus.

"O regresso significa muito para mim. É regressar à casa-mãe, onde tudo começou. É um sentimento muito especial representar o Sporting, é o meu clube, é o clube da minha família e o do meu filho. É com muita alegria que assino pelo Sporting, numa perspetiva de também dar um passo em frente na minha carreira", disse o guardião, em declarações à comunicação social antes do jogo particular Sporting e Nice, que se disputa no Estádio Algarve.

O jogador, que alinhou nos espanhóis do Sevilha ao longo das últimas épocas, no qual conquistou vários títulos, referiu que está no Sporting para ajudar o clube a lutar por mais conquistas.

"Essa é a perspetiva, não porque o Beto chegou, mas porque é assim todos os anos no Sporting, de lutar por títulos, porque o Sporting é um clube que vive de títulos e essa é a mentalidade que a equipa deve ter. Sou um felizardo, por onde passei ganhei títulos, e o meu maior desejo e de todos os sportinguistas é que a equipa volta a conquistá-los. Estou aqui para ajudar o Sporting a ser campeão", reforçou.

Formado no clube leonino, Beto reconheceu que isso pode ser uma vantagem, "no que toca à mentalidade e de conhecer os cantos à casa", sublinhando que a sua opção se deveu a "questões desportivas e muito por questões familiares".

O novo reforço dos leões elogiou o colega de posto Rui Patrício: "Felizmente o Sporting tem o melhor guarda-redes do campeonato da Europa. Venho para ajudar o Rui, ajudar o Sporting e ser um elemento mais para ajudar a conquistar os objetivos pessoais e coletivos."

O guarda-redes, que assinou por duas temporadas com mais uma de opção, não quis abordar as condições contratuais, assinalando que o mais importante é a ligação ao emblema leonino. "Isso é uma questão de números, letras e cláusulas, que para mim não significam absolutamente nada. O importante é trabalhar, ajudar e fazer rugir o leão", explicou.

Beto também abordou o relacionamento com o técnico Jorge Jesus, ao qual deixou elogios apesar da troca de palavras em 2009, quando o treinador estava no Sporting de Braga e apontou defeitos, nomeadamente a altura, ao então guarda-redes do Leixões.

"Desde essa altura até agora, cresci um bocadinho", brincou, acrescentando: "Do passado reza a história, não há que olhar para trás, mas sim olhar em frente. Neste momento faço parte da mesma equipa do 'mister' e, se ele quis a minha contratação, isso significa que aquilo que está para trás está para trás, sem ressentimentos."

Beto recordou que sempre afirmou que Jorge Jesus "era um grande treinador, conceituado, com currículo e muitas provas dadas", pelo que será "um orgulho trabalhar com um treinador com essa mentalidade e exigência", finalizou.

Lusa

  • Beto regressa ao Sporting

    Desporto

    O futebolista internacional português Beto, anunciado como reforço para a baliza do Sporting, manifestou-se satisfeito pelo regresso à "casa-mãe", prometendo ajudar a equipa a lutar pela conquista de troféus.

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.