sicnot

Perfil

Desporto

Marítimo cancela apresentação devido à situação dos incêndios na Madeira

O Marítimo anunciou esta terça-feira o cancelamento da apresentação oficial da equipa da I Liga portuguesa de futebol, marcada para quarta-feira, devido aos graves incêndios que abalaram a Madeira nos últimos dias.

"O Marítimo da Madeira Futebol SAD informa que a apresentação do plantel principal, prevista para esta quarta-feira no Estádio do Marítimo, foi cancelada. Numa altura em que o Funchal e a Madeira se encontram numa situação delicada, devido aos terríveis incêndios que assolam a Região Autónoma da Madeira, o Marítimo não se sente confortável na organização de um evento que se quer de festa", justificou o clube madeirense numa nota publicada no sítio oficial na internet.

A equipa insular mostra-se "solidária" com todas as pessoas envolvidas e "disponível para auxiliar no que for preciso".

"O Club Sport Marítimo e o Marítimo da Madeira Futebol SAD aproveitam a oportunidade para louvar o trabalho que nestas últimas horas tem sido desenvolvido pelas autoridades e serviços de proteção civil, em particular os bombeiros, no combate aos incêndios que a Região vive", conclui.

O treino de hoje do Marítimo já havia sido alterado para o Estádio de Machico, pois o Campo da Imaculada Conceição encontra-se na freguesia de Santo António, um dos locais mais fustigados pelas chamas.

Com a apresentação cancelada do plantel principal e dos equipamentos para a época 2016/17, marcada para o Estádio do Marítimo, nos Barreiros, a equipa está apenas focada no jogo de sábado com o Sporting, em Alvalade, a contar para a primeira jornada do campeonato.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras