sicnot

Perfil

Desporto

Paulo Bento deverá suceder a Víctor Sánchez no Olympiacos

Paulo Bento, que deixou recentemente os brasileiros do Cruzeiro, poderá ser o próximo treinador do Olympiacos.

© Maxim Shemetov / Reuters

O Olympiacos, adversário do Arouca na Liga Europa de futebol, anunciou hoje a rescisão de contrato com o treinador espanhol Víctor Sánchez, que há menos de dois meses substituiu Marco Silva. Segundo a imprensa grega, o português Paulo Bento, que deixou recentemente os brasileiros do Cruzeiro, poderá ser o próximo treinador do Olympiacos, que na segunda-feira anunciou a contratação do médio português André Martins.

No seu sítio oficial na Internet, o clube dá por terminada "a colaboração com o técnico" espanhol, agradecendo o trabalho e desejando os maiores sucessos a Víctor Sánchez.

A saída de Víctor Sánchez ocorre depois de a equipa hexacampeã grega de futebol ter sido afastada do 'play-off' da Liga dos Campeões e relegada para o 'play-off' da Liga Europa, competição na qual irá defrontar o Arouca.

Víctor Sánchez assumiu o comando da formação grega a 23 de junho, depois de o português Marco Silva ter rescindido o contrato com o clube, alegando motivos pessoais.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.