sicnot

Perfil

Desporto

Desportivo de Chaves confirma adiamento do jogo no terreno do Nacional

O jogo da primeira jornada da I Liga portuguesa de futebol entre Nacional e Desportivo de Chaves, que estava marcado para domingo, no Funchal, foi adiado, confirmou o clube transmontano.

"O Desportivo de Chaves informa que, devido aos incêndios que nos últimos dias têm fustigado a Região Autónoma da Madeira, e que afetaram irremediavelmente as instalações do Nacional, a partida referente à primeira jornada da I Liga, marcada para o próximo domingo, foi adiada", lê-se no sítio do Desportivo de Chaves.

O clube, que regressa à I Liga, depois de ter descido em 1998/99, acrescentou que "neste momento, os dois clubes e a Liga Portuguesa de Futebol estão em conversações para, em conjunto, acertarem uma nova data para a partida".

Na quarta-feira, o Nacional solicitou o adiamento do jogo frente ao Desportivo de Chaves, da primeira jornada da I Liga de futebol, devido aos incêndios no Funchal, alegando "falta de condições para a realização do encontro", uma vez que a zona da Choupana, onde se situa a Cidade Desportiva é uma das mais afetadas pelas chamas.

Segundo o assessor de imprensa do clube madeirense Saturnino Sousa, "corre-se o risco de não haver água nas condutas que fornecem o Estádio da Madeira", além de terem sido afetadas as comunicações, havendo a preocupação neste momento de evitar males maiores nas instalações dos 'alvinegros'.

Os incêndios que deflagraram na segunda-feira no Funchal provocaram três mortos e cerca de mil desalojados, entre residentes e turistas.

Lusa

  • Hasta pública de madeira ardida rendeu 2,85 milhões de euros

    País

    Mais de meia centena de lotes de madeira ardida proveniente de matas nacionais e perímetros florestais geridos pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) foram esta quinta-feira vendidos por 2,85 milhões de euros, numa hasta pública em Viseu.

  • Manifestações de apoio aos pais de Alfie impedidos de o levar para Itália
    3:03

    Mundo

    A justiça britânica rejeitou um novo recurso dos pais do bebé Alfie, que está em estado semivegetativo. O objetivo era levar o menino para Itália, para ser assistido numa unidade pediátrica no Vaticano. Os pais não querem que as máquinas sejam desligadas, mas os médicos defendem que os tratamentos são inúteis.