sicnot

Perfil

Desporto

FC Porto luta pela 21ª presença na fase de grupos da Champions

​O FC Porto começa na quarta-feira a lutar pela 21.ª presença na fase de grupos da Liga dos Campeões, na receção aos italianos da Roma da primeira mão dos play-offs.

Os dragões tentam a quinta presença consecutiva na Champions, que nos últimos 14 anos só falharam em 2010/11, quando conquistaram a Liga Europa, tendo pela frente uma das equipas mais fortes desta fase, a par dos ingleses do Manchester City.

Esta é a segunda vez que os portistas enfrentam esta fase da competição, depois da bem-sucedida eliminatória diante dos franceses do Lille (1-0 fora e 2-0 em casa), em 2014/15.

Agora sob o comando de Nuno Espírito Santo, o FC Porto surgiu ligeiramente renovado neste princípio de época, no qual já venceu um jogo para a I Liga, na visita ao Rio Ave, por 3-1.

Nesse jogo, tal como nos anteriores particulares, notou-se a ausência de habituais titulares, como Brahimi e Aboubakar, em benefício dos jovens Otávio, que esteve emprestado ao Vitória de Guimarães, e André Silva, assim como a aposta nos reforços defensivos Felipe e Alex Telles.

Do lado romano, depois do terceiro lugar na Série A, o técnico Luciano Spalletti perdeu o médio bósnio Miralem Pjanic para a Juventus, pentacampeã italiana, mas assegurou as permanências de Radja Nainggolan, Mohamed Salah, Edin Dzeko, El Shaarawy e Rudiger.

A estes 'reforços', aliados à renovação com o emblemático capitão Francesco Totti, juntaram-se contratações para quase todos os setores, com os guarda-redes Alisson (ex-Internacional), Szczesny (ex-Arsenal), os defesas Juan Jesus (ex-Inter Milão), Emerson (ex-Santos), Mário Rui (ex-Empoli) e Vermaelen (ex-FC Barcelona) e o médio Lendro Paredes (ex-Empoli).

A fiabilidade do conjunto romano ainda não foi testada oficialmente, tendo a estreia marcada para o Estádio do Dragão, na quarta-feira, a partir das 19h45, quando vai iniciar o terceiro embate entre as duas equipas, depois da segunda eliminatória da Taça das Taças de 1981/82, quando os portistas venceram por 2-0 no Porto, antes do nulo na segunda mão.

Caso o FC Porto se qualifique, Portugal voltará a ter três equipas na Liga dos Campeões, pela quarta vez e a primeira desde 2014/15, uma vez que o tricampeão Benfica e o Sporting têm entrada direta para a fase de grupos.

Além do jogo dos dragões, destaque na primeira mão dos play-offs para a visita do Manchester City, de Pep Guardiola, ao terreno do Steaua de Bucareste, vice-campeão romeno, e do Mónaco, do treinador Leonardo Jardim e de João Moutinho, Bernardo Silva e Ivan Cavaleiro, aos espanhóis do Villarreal.

Já hoje, os croatas do Dínamo Zagreb, dos portugueses Eduardo, Paulo Machado e Gonçalo Santos, vão receber os austríacos do Salzburgo e os cipriotas do APOEL, de Nuno Morais e Mário Sérgio, os dinamarqueses do Copenhaga, enquanto os israelitas do Hapoel Beer-Sheva, de Miguel Vítor, apenas na quinta-feira visitam os escoceses do Celtic.

Os play-offs da Liga dos Campeões:

Primeira mão (Terça-feira - 16 de agosto)
Copenhaga - APOEL (19h45);
Ajax - Rostov (19h45);
Dinamo Zagreb - Salzburgo (19h45);
Steaua Bucareste - Manchester City (19h45);
Young Boys- Borussia Mönchengladbach (19h45).

Quarta-feira (17 de agosto)
Ludogorets - Viktoria Plzen (19h45);
Celtic Glasgow - Hapoel Beer-Sheva (19h45);
FC Porto - Roma (19h45);
Villarreal - Mónaco (19h45);
Dundalk - Legia Varsóvia (19h45).

Segunda mão (Terça-feira, 23 de agosto)
Hapoel Beer-Sheva - Celtic Glasgow (19h45);
Viktoria Plzen - Ludogorets (19h45);
Mónaco - Villarreal (19h45);
Roma - FC Porto (19h45);
Legia Varsóvia - Dundalk (19h45).

Quarta-feira, 24 ago:
APOEL - Copenhaga (19h45);
Rostov - Ajax (19h45);
Manchester City - Steaua Bucareste (19h45);
Salzburgo - Dinamo Zagreb (19h45);
Borussia Mönchengladbach - Young Boys (19h45).

  • Captura ilegal de cavalos-marinhos na Ria Formosa
    3:02

    País

    Há cada vez menos cavalos marinhos na Ria Formosa. Cientistas da Universidade do Algarve dizem que a maior população desta espécie no mundo, que é a que existe na Ria Formosa, está ameaçada devido à captura ilegal para o mercado asiático. Dizem que, se nada for feito para travar este fenómeno, esta espécie protegida pode desaparecer em poucos anos.