sicnot

Perfil

Desporto

Spalletti diz que a Roma "esperou oito meses" pelo jogo com o FC Porto

O treinador da Roma, Luciano Spalletti, afirmou esta segunda-feira que a equipa italiana "esperou oito meses" pelo confronto de acesso à Liga dos Campeões em futebol, que disputará na terça-feira frente ao FC Porto, no seu estádio.

"Foi para este jogo que trabalhámos durante esse tempo, pois é-nos vital, na medida em que nos abre as portas à mais prestigiada competição da atualidade", referiu o técnico transalpino, na véspera da segunda mão da terceira pré-eliminatória, que se sucede ao empate a uma bola, no Dragão, na semana passada.

Spalletti afirmou, na conferência de imprensa hoje realizada, que os seus jogadores "devem ser inteligentes e fazer o seu trabalho (...), sem temer o destino, mas a querer determiná-lo".

"Vamos entrar de cabeça erguida e tentar vencer o nosso adversário, em vez de esperarmos pela sua inciativa", afirmou o italiano, tendo em conta que os romanos se encontram em vantagem, graças ao golo marcado fora de casa.

Para Luciano Spalletti, a Roma "pode fazer melhor", apesar de estar no início da temporada e deu como exemplo a primeira parte do jogo do fim de semana, frente à Udinese, em que não marcou qualquer golo, ao contrário do que fez no segundo período, em que marcou quatro: "Devemos encontrar maior equilíbrio nos nossos processos de jogo e na velocidade que devemos usar nos vários momentos de jogo."

O jogo, que se realizará no Estádio Olímpico de Roma, às 19:45, será arbitrado pelo polaco Szymon Marciniak.

Lusa

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • Parlamento debate uso de animais no circo: as posições do PCP, Bloco e PAN
    2:03
  • ONU analisa proposta do Egito que visa anular decisão de Trump sobre Jerusalém
    1:27

    Mundo

    O Conselho de Segurança das Nações Unidas está a analisar um projeto de resolução que pretende rejeitar a decisão de Donald Trump de reconhecer Jerusalém como capital oficial de Israel. O projeto de resolução, proposto pelo Egito, deverá ser votado amanhã mas vai, seguramente, contar com o voto contra dos Estados Unidos.