sicnot

Perfil

Desporto

Manchester City anuncia contratação de Claudio Bravo

O Manchester City anunciou hoje a contratação do guarda-redes Claudio Bravo, que atuava no FC Barcelona, tendo o futebolista chileno assinado um contrato de quatro temporadas com o emblema inglês.

"Estou muito orgulhoso por assinar com o Manchester City. Sei que o clube está a construir algo muito especial e espero ser parte de muitos sucessos nos próximos anos", afirmou o guardião, de 33 anos, ao site oficial dos 'citizens'.

O FC Barcelona, igualmente no seu site oficial, confirmou a saída de Bravo e adiantou que o Manchester City pagou 18 milhões de euros pelo internacional chileno, num negócio que poderá chegar aos 20 milhões, caso sejam atingidos determinados objetivos.

Horas antes, os catalães tinham anunciado a chegada do guarda-redes holandês Jasper Cillessen, proveniente do Ajax de Amesterdão.

A chegada de Bravo ao City abre ainda mais a porta da saída do guardião Joe Hart, que defendeu a baliza dos 'citizens' durante quase uma década, mas foi relegado para o banco de suplentes com a chegada do treinador espanhol Pep Guardiola.

Lusa

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45

    País

    Durante a abertura do ano judicial, a Procuradora-Geral da República e o presidente do Supremo Tribunal aproveitaram para deixar um recado à ministra da Justiça: é urgente aprovar o novo estatuto de juízes e magistrados. O presidente do Supremo diz que é injusta a má imagem da Justiça e pediu contenção aos magistrados.

  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38