sicnot

Perfil

Desporto

Manuel Machado quer prolongar jejum de vitórias do Benfica na Choupana

O treinador do Nacional, disse esta sexta-feira que a equipa está motivada para impor no sábado a primeira derrota ao Benfica no campeonato e que há seis anos não vence na Choupana.

O Nacional, 16.º classificado, ainda sem pontos, mas com menos um jogo, recebe no sábado à noite, 20:30, o tricampeão nacional Benfica, quarto colocado, com quatro pontos, em jogo da terceira jornada da I Liga portuguesa de futebol, que será arbitrado por Artur Soares Dias.

"Vamos defrontar o campeão nacional e isso diz muito da qualidade do adversário que vamos ter pela frente, que, com toda a certeza quererá somar os três pontos. Os meus jogadores, têm consciência do que significa defrontar um adversário como o Benfica, mas a nossa motivação é muito grande, por isso, não nos move outra ideia que não seja criar dificuldades ao Benfica e tentar vencer o jogo", destacou Manuel Machado, na conferência de antevisão ao jogo.

Depois de ter cedido os primeiros pontos, ao empatar (1-1), em casa, frente ao Vitória de Setúbal, na última jornada, Machado reconhece que uma equipa como a do Benfica, muito dificilmente cederá pontos em duas jornadas consecutivas.

"A equipa está bem e a derrota sofrida em Arouca (na semana passada), não nos abalou. Trabalhámos bem durante a semana e agora teremos outras 'armas' referindo-se aos regressos de Tobias Figueiredo e Salvador Agra, que regressaram ao clube, depois de terem participado nos Jogos Olímpicos, ao serviço da seleção nacional.

O treinador do Nacional desvalorizou ainda a ausência por lesão do melhor marcador do Benfica, Jonas.

"Independentemente do onze, a equipa do Benfica será sempre de qualidade, por isso, o Benfica não se prende à ausência de um só jogador", considerou o técnico dos insulares.

Lusa

  • Marcelo saúda "forma rápida" como Conselho de Ministros "tratou de tudo"
    1:03

    País

    O Presidente da República lembra que é preciso convergência de forma a adotar rapidamente as medidas mais urgentes do plano de emergência. No concelho de Tábua, Marcelo Rebelo de Sousa destacou ainda os esforços do Conselho de Ministros, mas lembrou que as medidas anunciadas são apenas o início de um processo e não o fim.