sicnot

Perfil

Desporto

Atleta polaco leiloa medalha de prata a favor de menino com raro cancro

O atleta polaco Piotr Malachowski vendeu a medalha de prata que conquistou no lançamento do disco nos Jogos Rio2016, para ajudar um menino de três anos que sofre de cancro do olho.

"Fiz tudo o que estava ao meu alcance para a conseguir [medalha de ouro]. Infelizmente, desta vez, não funcionou. Mas o destino deu-me a oportunidade de aumentar o valor da minha 'prata'", escreveu no Facebook.

Piotr Malachowski lançou um apelo para angariação de fundos para Olek Szymanski, um menino que sofre de um raro cancro que apenas atinge crianças com menos de cinco anos.

O atleta lançou um leilão no www.charytatywni.allegro.pl, um portal que ajuda organizações não-governamentais a recolher fundos para os seus objetivos de caridade.

O objetivo era angariar verbas para enviar para o pequeno Olek Szymanski para ser tratado nos Estados Unidos, porque a Polónia carece da tecnologia necessária para lidar com a doença.

A operação ao olho do menino custará 125 mil dólares norte-americanos.

Na quarta-feira, Piotr Malachowski -- que também foi prata nos Jogos de Pequim2008 -- escreveu no Facebook que a missão tinha sido um sucesso, indicando que Dominika e Sebastian Kulczyk, herdeiros do falecido milionário polaco Jan Kulczyk, tinham comprado a sua medalha ao fazer a oferta mais elevada.

"Fomos capazes de mostrar que juntos podemos fazer milagres. A minha medalha de prata vale hoje muito mais do que valia há uma semana", afirmou o atleta.

Lusa

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.