sicnot

Perfil

Desporto

John McEnroe "separa-se" de Milos Raonic antes do Open dos EUA

O ex-tenista norte-americano John McEnroe anunciou no sábado o fim da colaboração com Milos Raonic, que tinha começado antes do 'Grand Slam' de Wimbledon, no qual o canadiano foi finalista vencido.

McEnroe, considerado um dos melhores tenistas norte-americanos de sempre, anunciou o 'divórcio' dois dias antes do arranque do Open dos Estados Unidos, o quarto e último 'major' da época.

Segundo McEnroe, esta decisão "vai facilitar a vida" a Raonic, "que já tem dois treinadores [Carlos Moya e Riccardo Piatti]".

"Eu cheguei como conselheiro antes de Wimbledon. Raonic tem uma grande equipa a apoiá-lo", justificou McEnroe, em declarações ao canal televisivo ESPN.

O antigo jogador entende que "esta decisão é a melhor para o Milos [Raonic]",

"É preferível acabarmos com a colaboração neste momento. O Open dos Estados Unidos começa na segunda-feira e ele tem o seu 'staff'. Continuo a puxar por ele e espero que tenha uma grande prestação [no US Open]", frisou McEnroe.

No Open dos Estados Unidos, Milos Raonic, sexto do 'ranking' mundial, estreia-se na segunda-feira, frente ao alemão Dustin Brown, 87.º no circuito profissional.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.