sicnot

Perfil

Desporto

Messi viaja para a seleção da Argentina apesar da lesão

Lionel Messi foi esta segunda-feira confirmado nos dois jogos da seleção da Argentina de qualificação para o campeonato do mundo de futebol frente ao Uruguai e Venezuela, mas o FC Barcelona informou que o jogador viajou lesionado.

Em comunicado divulgado na sua página na internet, o clube catalão adiantou que o avançado "viajou para a Argentina com uma lesão no adutor direito", diagnóstico que foi "consensualizado entre os serviços médicos do FC Barcelona e da Federação Argentina de Futebol (AFA)".

A participação do jogador na partida de quinta-feira frente ao Uruguai, de qualificação para o Mundial de 2018 na Rússia, dependerá assim da evolução da lesão, acrescenta o FC Barcelona.

A AFA indicou, entretanto, que o atacante do Manchester City Sergio Aguero e o médio do Paris Saint-Germain Javier Pastore estão lesionados e não poderão participar nos dois jogos da seleção.

A 27 de junho, após a derrota na final da Copa América frente ao Chile, Messi anunciou o abandono da seleção, mas em agosto reconsiderou e manifestou vontade de continuar.

A Argentina segue no terceiro lugar da qualificação sul-americana para o Mundial2018, com 11 pontos em seis jogos, menos dois do que os líderes Uruguai e Equador.

Depois da partida frente ao Uruguai, a seleção argentina mede forças com a sua congénere da Venezuela, a 06 de setembro.

Lusa

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.