sicnot

Perfil

Desporto

Messi viaja para a seleção da Argentina apesar da lesão

Lionel Messi foi esta segunda-feira confirmado nos dois jogos da seleção da Argentina de qualificação para o campeonato do mundo de futebol frente ao Uruguai e Venezuela, mas o FC Barcelona informou que o jogador viajou lesionado.

Em comunicado divulgado na sua página na internet, o clube catalão adiantou que o avançado "viajou para a Argentina com uma lesão no adutor direito", diagnóstico que foi "consensualizado entre os serviços médicos do FC Barcelona e da Federação Argentina de Futebol (AFA)".

A participação do jogador na partida de quinta-feira frente ao Uruguai, de qualificação para o Mundial de 2018 na Rússia, dependerá assim da evolução da lesão, acrescenta o FC Barcelona.

A AFA indicou, entretanto, que o atacante do Manchester City Sergio Aguero e o médio do Paris Saint-Germain Javier Pastore estão lesionados e não poderão participar nos dois jogos da seleção.

A 27 de junho, após a derrota na final da Copa América frente ao Chile, Messi anunciou o abandono da seleção, mas em agosto reconsiderou e manifestou vontade de continuar.

A Argentina segue no terceiro lugar da qualificação sul-americana para o Mundial2018, com 11 pontos em seis jogos, menos dois do que os líderes Uruguai e Equador.

Depois da partida frente ao Uruguai, a seleção argentina mede forças com a sua congénere da Venezuela, a 06 de setembro.

Lusa

  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • Estarão os portugueses a consumir vitamina D em excesso? 
    6:44
  • Investigadores criam nanovacina contra diferentes cancros

    Mundo

    Investigadores da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, desenvolveram uma nanovacina (vacina administrada através de partículas microscópicas) contra diferentes cancros, como o da pele, do cólon e do reto, numa experiência com ratos, revela um estudo publicado esta segunda-feira.