sicnot

Perfil

Desporto

Marco van Basten deixa equipa técnica da Holanda e vai para a FIFA

O antigo futebolista Marco van Basten vai deixar o cargo de treinador adjunto da seleção da Holanda para ir trabalhar para a FIFA, anunciou esta terça-feira a federação holandesa.

"A FIFA ofereceu-me uma oportunidade para trabalhar no desenvolvimento e na reforma do futebol, assim como para usar as minhas ideias e opiniões em aspetos com as regras de jogo, de arbitragem e nos programas de desenvolvimento", explicou Van Basten, que coadjuvava Danny Blind.

O atual selecionador, que ainda vai contar com Van Basten no embate com a Suécia, de qualificação para o Mundial2018, vai ficar sem adjuntos, uma vez que Dick Advocaat também deixou a equipa técnica, para assumir o comando técnico do Fenerbahçe.

"Claro que não estou contente, mas o cargo na FIFA está feito à medida do Marco. Apesar de significar que tenho de procurar outro adjunto, esta é uma grande oportunidade para ele", frisou Blind.

Van Basten foi o treinador apresentado pelo atual presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, nas eleições que viria a perder para Luiz Godinho Lopes, em 2011.

Lusa

  • "O FC Porto não merece ser campeão"
    2:23
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    O empate do FC Porto com o Feirense foi o principal assunto do Play-Off da SIC Notícias, este domingo. Rodolfo Reis mostrou-se insatisfeito com a atitude dos jogadores do FC Porto.

  • Uma volta a Portugal. De bicicleta mas sem licra

    País

    Um grupo de professores propõe-se a repetir o percurso da 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta, 90 anos depois. Não se trata de uma corrida, pelo contrário querem provar que qualquer um o pode fazer e promover o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal. “Dar a volta” parte para a estrada esta quarta-feira, de Lisboa a Setúbal, tal como em 26 de abril de 1927.

    Ricardo Rosa

  • Défice recua em 2016 na zona euro e na UE

    Economia

    O défice e a dívida baixaram na zona euro e na União Europeia (UE) em 2016 face a 2015, tendo Portugal registado a terceira maior dívida (130,4%) entre os Estados-membros e um défice de 2%, segundo o Eurostat.