sicnot

Perfil

Desporto

Leicester era uma oportunidade que "não podia recusar"

Reuters

​O futebolista Islam Slimani, transferido do Sporting para o Leicester, afirmou que sempre quis jogar na liga inglesa, referindo que era uma oportunidade que não podia recusar.

"Juntar-me a uma equipa como o Leicester é uma grande honra e mal posso esperar para começar. Sempre quis jogar o meu futebol na 'Premier League' e ter a oportunidade de o fazer no atual campeão era algo que eu simplesmente não podia recusar", disse o avançado argelino, citado no sítio oficial do Leicester na internet.

O Sporting anunciou hoje a transferência do avançado internacional argelino Islam Slimani para o Leicester City, campeão inglês de futebol, por 30 milhões de euros (ME), acrescidos de um valor variável, em função de objetivos, de até cinco ME.

"Eu vi o incrível sucesso da última temporada e a paixão dos adeptos do clube. Estou ansioso para fazer parte disso", frisou Slimani, de 28 anos.

No campeão inglês, Slimani, que assinou um contrato de cinco temporadas, válido até 2021, vai encontrar o seu compatriota Riyad Mahrez.

"Falou-me sobre o clube e sobre o ambiente que os adeptos do Leicester criam no estádio. Vou dar absolutamente tudo o que tenho em campo para eles e para os meus companheiros e espero que juntos consigamos algo especial ", concluiu.

Slimani chegou ao Sporting no início da época 2013/14, proveniente do argelino CR Belouizdad, por cerca de 300 mil euros, tendo marcado 57 golos nos 112 jogos oficiais disputados com a camisola dos leões.

Lusa

  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada desde domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.