sicnot

Perfil

Desporto

Portugal defronta Gibraltar a pensar no arranque do apuramento para o Mundial 2018

A seleção portuguesa de futebol defronta hoje Gibraltar, num particular que se vai realizar no Estádio do Bessa, no Porto, e que servirá para preparar o arranque da fase de qualificação para o Mundial2018.

Naquele que será o primeiro jogo após a conquista do Euro2016, Portugal vai apresentar-se sem o capitão Cristiano Ronaldo, que recupera de lesão, e o médio Renato Sanches, que também ficou de fora das opções de Fernando Santos devido a problemas físicos.

Por seu lado, no Bessa, o guarda-redes Marafona, o lateral João Cancelo e o avançado André Silva vão poder estrear-se pela seleção principal, naquele que será o primeiro jogo de sempre entre Portugal e Gibraltar.

Na antevisão da partida, que terá início às 19:45, o selecionador português revelou que vai aproveitar o encontro para dar minutos a alguns jogadores e preparar o confronto com a Suíça, a 6 de setembro, em Basileia.

Gibraltar foi aceite como membro da UEFA em 2013 e acumulou derrotas na qualificação para o Euro2016, sofrendo goleadas pesadas com a Polónia (7-0 e 8-1), Irlanda (7-0), Escócia (6-0) e Alemanha (7-0).

O melhor momento da curta história de Gibraltar aconteceu quando em junho de 2014 bateu Malta num particular, por 1-0, naquela que é até hoje a sua única vitória.

Depois deste particular, Portugal começa a preparar o embate com a Suíça, da primeira jornada da fase de qualificação para o Mundial2018.

Portugal está inserido no Grupo B juntamente com as seleções da Suíça, Andorra, Ilhas Faroé, Letónia e Hungria

Lusa

  • Três letras de Zeca Afonso

    Cultura

    No dia em que se assinalam 30 anos da morte de Zeca Afonso, Raquel Marinho, jornalista da SIC e divulgadora de poesia portuguesa contemporânea, escolhe três letras do cantor e autor para dizer, em forma de homenagem.

    Raquel Marinho

  • Cunhado do Rei de Espanha em liberdade sem caução

    Mundo

    Inaki Urdangarin vai mesmo aguardar o desenrolar do recurso em liberdade na Suíça, onde o marido da Infanta Cristina tem residência oficial e onde terá de se apresentar às autoridades uma vez por mês, para além de estar obrigado a comunicar qualquer deslocação fora da Europa. De fora fica ainda o pagamento da caução de 200 mil euros pedida pelo Ministério Público espanhol.