sicnot

Perfil

Desporto

João Sousa na terceira ronda do US Open pela segunda vez

O tenista português João Sousa qualificou-se para a terceira ronda do US Open, a decorrer em Nova Iorque, ao derrotar o espanhol Feliciano López na quinta-feira, por 6-2, 6-4, 1-6, 7-5.

Sousa, 36.º do 'ranking' mundial, precisou de duas horas e 39 minutos para afastar o espanhol, número 18 da hierarquia e 16.º cabeça de série no torneio norte-americano, quarto e último evento do 'Grand Slam' da temporada.

Com a presença na terceira eliminatória, o vimaranense iguala o seu melhor registo em Flushing Meadows, cabendo-lhe enfrentar o vencedor do encontro que opõe o francês Jeremy Chardy e o búlgaro Grigor Dimitrov, 22.º pré-designado. Em caso de vitória, repete o percurso da edição de 2013, em que perdeu apenas para o sérvio Novak Djokovic.

Frente ao espanhol, Sousa esteve um 'break' abaixo no quarto 'set' (4-3) e na iminência de permitir que Feliciano López igualasse o encontro, mas conseguiu inverter o marcador a seu favor para 5-4 e fechou o confronto com novo 'break'.

Face ao mais poderoso serviço do espanhol (11 ases), o português respondeu com maior consistência no primeiro serviço e tirou partido dos 44 erros não forçados de Feliciano López, perante o qual soma agora dois triunfos em quatro encontros.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15