sicnot

Perfil

Desporto

Presidente do COI ausente da cerimónia de abertura dos Paralímpicos

O presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), o alemão Thomas Bach, vai estar ausente da cerimónia de abertura dos Jogos Paralímpicos Rio2016, anunciou o presidente do Comité Paralímpico Internacional (IPC).

Thomas Bach vai estar presente nas cerimónias fúnebres do antigo presidente alemão Walter Scheel, que morreu em Berlim aos 97 anos.

"Recebi há dois dias uma mensagem de Bach indicando que não estaria presente, porque teria de assistir ao funeral de um amigo próximo", declarou Philip Craven, presidente do IPC, durante uma conferência de imprensa, no Rio de Janeiro, algumas horas antes da cerimónia de abertura.

É a primeira vez desde 1984 que um presidente do COI não está presente na cerimónia de abertura dos Jogos Paralímpicos.

A cerimónia realiza-se no estádio do Maracanã, a partir das 18:15 locais (22:15 em Lisboa).

Lusa

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • Jovens impedidas de embarcar de leggings

    Mundo

    A moda das calças-elásticas-super-justas volta a fazer estragos. Desta vez nos EUA onde duas adolescentes foram impedidas de embarcar num voo da United Airlines devido à indumentária, que não cumpria com as regras dos tripulantes ou acompanhantes da companhia aérea norte-americana.

    Manuela Vicêncio

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41