sicnot

Perfil

Desporto

Quaresma entrega ao Papa camisola da seleção portuguesa

© Remo Casilli / Reuters

O futebolista português Ricardo Quaresma fez esta quarta-feira uma escala no Vaticano para levar ao Papa uma camisola personalizada da seleção de Portugal com o número 20 nas costas e o nome de Francisco.

Foi o próprio Quaresma, de 32 anos, que alinha no Besiktas, da Turquia, a fornecer essa informação no seu perfil do Facebook, onde posou com a camisola que ia entregar ao Papa e escreveu: "Estou no Vaticano e trago uma prenda para o Papa Francisco. Acham que ele vai gostar?".

O internacional luso fez esta paragem em Roma no regresso de Basileia, onde Portugal realizou na véspera o seu primeiro jogo oficial após a conquista do título europeu. Frente à Suíça, no arranque da qualificação para o Mundial2018, a seleção lusa perdeu por 2-0.

O Papa Francisco recebe numerosos futebolistas, ele que é um assumido adepto de futebol, em especial do clube da sua terra natal, o San Lorenzo de Almagro, da Argentina.

Lusa

  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.