sicnot

Perfil

Desporto

António Salvador anuncia recandidatura à presidência do SC Braga

António Salvador anunciou este sábado em entrevista ao Jornal de Notícias que vai recandidatar-se à presidência do Sporting de Braga nas eleições que terão lugar em maio do próximo ano.

"Estamos a muitos meses das eleições, vão ser em maio do próximo ano, mas é evidente que a obra ainda não acabou. Temos o projeto da cidade desportiva, cuja primeira fase vai estar concluída ainda este ano, e depois a segunda fase, e compromissos que assumimos com o município. Tenho também um compromisso com os nossos sócios em construir essa obra e deixá-la pronta para servir o clube e, obviamente, vou-me recandidatar", afirmou.

António Salvador, de 45 anos, é presidente do Sporting de Braga desde fevereiro de 2003.

Na mesma entrevista, revelou que Rafa, transferido para o Benfica no último dia do mercado, foi alvo da cobiça dos 'três grandes' do futebol português, tendo o FC Porto sido o primeiro a mostrar esse interesse e o Sporting o último.

Dizendo-se amigo dos presidentes do Benfica e FC Porto, Luís Filipe Vieira e Pinto da Costa, Salvador diz sentir-se como o "grande responsável" pela aproximação de ambos para encontrarem a solução Luís Duque para a presidência Liga de clubes.

Deixou ainda elogios ao presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, "um homem de convicções" e que tem "feito um trabalho muito bom" no clube.

Admitindo ter abordado o atual selecionador espanhol e antigo técnico do FC Porto, Julen Lopetegui, antes de José Peseiro, o líder 'arsenalista' disse que o Sporting de Braga está hoje "mais perto dos 'três grandes' e mais longe dos outros", sendo isso "reconhecido por toda a gente".

Lusa

  • Partidos exigem explicações sobre transferências para offshores entre 2011 e 2014

    Economia

    O PS junta-se ao PCP, o Bloco de Esquerda e o PSD no pedido para a audição urgente do antigo e o atual secretário de Estado dos Assuntos Fiscais sobre a falta de controlo do Fisco às transferências de dinheiro para paraísos fiscais. Em causa está a transferência de 10 mil milhões de euros para offshores. O CSD é o único partido que ainda não se pronunciou.