sicnot

Perfil

Desporto

Isabel dos Santos torna-se dirigente no desporto angolano

A empresária angolana Isabel dos Santos, que lidera a petrolífera estatal Sonangol, vai ser presidente da assembleia-geral do Petro de Luanda, um dos clubes mais representativos de Angola.

Segundo informação divulgada pelo próprio clube, Isabel dos Santos, primeira filha do Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, lidera a lista àquele órgão nas eleições de 17 de setembro, tendo como candidato a vice-presidente (da assembleia-geral) Paulino Jerónimo, por sua vez presidente da comissão executiva da Sonangol, empresa patrocinadora do clube.

Na mesma lista - única - concorre ao cargo de presidente da direção do Petro (Atlético Petróleos de Luanda) Tomás Faria, que será reeleito.

Considerada a mulher mais rica de África, Isabel dos Santos, 43 anos, tem negócios sobretudo na banca, energia e telecomunicações em Angola e Portugal.

Desde que assumiu o cargo de presidente do conselho de administração da Sonangol, em junho último, que Isabel dos Santos tem sido apontada por alguma imprensa local como possível candidata à sucessão do pai na liderança do país.

Fundado em 1980, o Petro de Luanda é um dos mais carismáticos clubes de Angola, com cerca de 9.000 sócios e vários títulos conquistados em modalidades como andebol, basquetebol, futebol, voleibol ou hóquei em patins, mas também atividades de ginástica, atletismo, karaté e vela.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras