sicnot

Perfil

Desporto

Portugal em três finais de atletismo no sexto dia de competição

Portugal vai marcar hoje presença em três finais de atletismo dos Jogos Paralímpicos Rio2016, em dia no qual dois nadadores lusos participam em eliminatórias e marcado pelo início as competições individuais de boccia.


No estádio Engenhão, às 10:20 (14:20 em Lisboa) Mário Trindade participa na final dos 400 metros T52 e pouco depois Hélder Mestre corre a prova decisiva dos 100 metros T51, ambas classes que agrupam atletas com deficiência motora.

Às 10:58 (14:58), Cristiano Pereira corre a final dos 1.500 metros T20, para atletas com deficiência intelectual.

Na piscina, às 11:28 (15:28), David Grachat nada as eliminatórias dos 50 metros livre (S9) e, pouco depois, Nélson Lopes participa nas séries dos 200 metros livre (S4). As finais de ambas as provas estão agendadas para a tare

No boccia, modalidade na qual Portugal conquistou na segunda-feira uma medalha de bronze por equipas, começam as competições individuais, nas quais estarão envolvidos oito atletas portugueses.

Portugal está representado nos Jogos Paralímpicos Rio2016 por 37 atletas, tendo até segunda-feira conquistado duas medalhas de bronze, uma no atletismo e outra no boccia.

Lusa

  • Reportagem Especial dá a voz aos despedidos da banca
    1:18
  • CEMGFA admite que várias armas roubadas estão em condições de ser usadas
    2:06

    Assalto em Tancos

    Afinal há várias armas roubadas em Tancos que estão em condições de ser utilizadas, sendo que apenas os lança-granadas-foguete estão obsoletos. Esta manhã, o general Pina Monteiro admitiu, no Parlamento, que a declaração que fez há duas semanas pode ter induzido em erro a opinião pública. O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) diz, ainda, que se houvesse indícios sobre colaboração do Exército neste caso, os suspeitos estariam presos.

  • Pais de Charlie Gard querem que o bebé morra em casa

    Mundo

    Depois de terem renunciado à batalha judicial para manterem o filho com vida, os pais do bebé britânico Charlie Gard desejam agora levar a criança para morrer em casa. O desejo foi revelado pelo advogado de Chris Gard e Connie Yates, numa audiência esta tarde, no Supremo Tribunal de Londres. Contudo, o hospital responsável pelo caso admite que os cuidados a Charlie não podem ser feitos em casa.