sicnot

Perfil

Desporto

Estádio Olímpico de Kiev recebe final da Liga dos Campeões em 2018

© Reuters

O NSK Olimpiyskyi, em Kiev, foi o estádio escolhido para receber a final da Liga dos Campeões de futebol de 2018, a 26 de maio, anunciou esta quinta-feira o organismo europeu, após reunião do Comité Executivo.

Esta será a primeira vez que o Complexo Olímpico Nacional da capital ucraniana acolherá a mais importante competição europeia de clubes de futebol.

Com capacidade para 68.000 pessoas, o NSK Olimpiyskyi foi um dos estádios dos Jogos Olímpicos Moscovo 1980 e do Euro 2012, prova na qual acolheu cinco partidas, entre as quais a final.

A Supertaça Europeia de 2018 será disputada na Lilleküla Arena, em Tallin, na Estónia, a 14 de agosto, sendo também aqui a primeira final europeia de clubes a ter lugar naquele país do Báltico, onde em 2012 decorreu o Euro Sub-19.

O estádio tem capacidade para 10.000 pessoas mas será aumentado para acolher a final, que coincide com o Centenário da criação do país.

Tallin segue assim os passos de Praga (2013), Cardiff (2014), Tbilissi (2015), Trondheim (2016) e Skopje (2017) como cidades às quais foi atribuída o jogo da Supertaça Europeia desde que esta deixou de se realizar permanentemente no Mónaco.

A UEFA não anunciou ainda o palco da final da Liga Europa de 2018.

Lusa

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41