sicnot

Perfil

Desporto

Portugal nos oitavos com espetáculo de Ricardinho

A seleção portuguesa de futsal selou sexta-feira, como anunciado, um lugar nos oitavos de final do Mundial de 2016, ao golear o Uzbequistão por 5-1, em Medellin, e vencer o Grupo A, com novo 'show' de Ricardinho.

LUIS EDUARDO NORIEGA

A seleção portuguesa de futsal selou sexta-feira, como anunciado, um lugar nos oitavos de final do Mundial de 2016, ao golear o Uzbequistão por 5-1, em Medellin, e vencer o Grupo A, com novo 'show' de Ricardinho.


O 'mágico' da formação das 'quinas' marcou mais três golos, os três primeiros lusos, passando o seu total na seleção para 116, em Mundiais para 18 e na Colômbia para nove, e teve pormenores que encantaram os espetadores presentes em Cali.

O seu 'ex-libris' foi um 'cabrito' (passar a bola por cima de um adversário com o calcanhar e receber à frente) ao '10' contrário, que esteve na origem do quinto e último tento luso, apontado por Djô.

André Coelho marcou o outro golo de Portugal, o seu primeiro de sempre, enquanto Ricardinho, num lance infeliz marcou, com o corpo, na sequência de um canto, o tento dos uzbeques, que, então, restabeleceram a igualdade, a um.

Face aos vice-campeões asiáticos, o selecionador luso não pôde contar com o pivot Cardinal, que se lesionou no 9-0 ao Panamá e é dúvida para o embate dos 'oitavos', na quarta-feira (madrugada de quinta-feira, em Lisboa), face a um terceiro classificado - dos grupos C, D ou E.

Com Fábio Cecílio no cinco inicial, no lugar do lesionado Cardinal, Portugal começou o jogo na expetativa, mas não demorou muitos tempo a assumir o comando, com André Coelho a falhar a primeira grande ocasião.

Ainda antes do meio da primeira parte, aos 9.10 minutos, Portugal adiantou-se no marcador, em mais uma reposição lateral, com João Matos a desmarcar Ricardinho, que, esquecido à boca da baliza, atirou vitoriosamente.

Os uzbeques demoraram pouco mais de um minuto e meio a restabelecer a igualdade, o que conseguiram aos 10.49, mas como alguma felicidade, num canto em que atiraram contra o corpo de Ricardinho, que acabou por marcar na baliza errada.

Portugal tornou-se, então, mais pressionante, logo junto à área contrária e foi dessa forma que voltou ao comando do marcador, aos 13.52 minutos: Tiago Brito desviou a bola para Ricardinho, que 'sentou' um adversário e atirou a contar.

Até ao intervalo, o conjunto de Jorge Braz esteve sempre mais perto de marcar, mas também passou por um ou outro calafrio, que Bebé soube resolver.

O início da segunda parte voltou a trazer Ricardinho, que chegou ao 'hat-trick' aos 21.03 minutos, com um remate de primeira, sem deixar cair a bola, na sequência de um canto apontado na esquerda por Bruno Coelho.

Os uzbeques acusaram os dois tentos de vantagem, até porque tinham de ganhar para poderem chegar aos 'oitavos', e, aos 25.32 minutos, surgiu novo golo e não foi de Ricardinho, mas de André Coelho, que rematou forte, servido por Tiago Brito.

O domínio era total de Portugal e, aos 34.23 minutos, chegou o quinto golo, iniciado no tal 'cabrito' de Ricardinho, que fez a bola sobrevoar Anorov e tocou para Bruno Coelho assistir Djô. O jogo 'devia' ter terminado ali.

Nessa altura, o Uzbequistão já alinhava com guarda-redes avançado, sistema do qual nunca conseguiu tirar partido, acabando ainda por voltar ao normal.

Selecionador de futsal feliz por Portugal ter cumprido primeiro objetivo "com distinção"

O selecionador nacional de futsal, Jorge Braz, congratulou-se na sexta-feira por Portugal ter alcançado o primeiro grande objetivo no Mundial da Colômbia2016, a qualificação para os oitavos de final, depois da goleada por 5-1 sobre o Uzbequistão.

Além do triunfo folgado, Portugal também garantiu o primeiro lugar no Grupo A, que lhe permite cruzar-se nos 'oitavos' com o terceiro colocado dos grupos C, D ou E, num embate marcado para as 20:00 locais de quarta-feira (02:00 de quinta-feira, em Lisboa), em Cali.

"Pela primeira vez, vencemos um grupo num Mundial. Cumprimos o objetivo com distinção. Independentemente do início da nossa participação ter sido com um empate [1-1 com a anfitriã Colômbia]", começou por avaliar o técnico à assessoria de imprensa da Federação Portuguesa de Futebol.

Para Jorge Braz, Portugal, que chegou ao intervalo a vencer por 2-1, podia ter encerrado o primeiro tempo "a vencer por mais", embora a equipa tenha conseguido controlar o jogo "de acordo com o que este exigia".

"Neste jogo foi o que esperávamos: uma equipa organizada [Uzbequistão], que tentou, de forma inteligente, aproveitar algumas fragilidades pontuais que podíamos ter aqui ou ali. Um primeiro deslize resultou no golo deles, mas, mesmo assim, mantivemo-nos organizados", destacou o selecionador.

Na segunda parte, Jorge Braz considerou que Portugal melhorou de rendimento, como "tem sido apanágio desta equipa, melhorar nas segundas partes, [depois] de refletir as primeiras partes no intervalo e corrigir uma série de situações".

"Fizemos isso mais uma vez e na segunda parte foi muito bom. Podiam ter sido mais [golos] e estamos de parabéns por cumprir este primeiro objetivo. Agora vem ai uma nova fase", concluiu o treinador.

No jogo de Medellin, Ricardinho, que marcou três golos na baliza dos asiáticos e ainda um na própria baliza, foi a grande figura do encontro, tendo André Coelho e Djô apontado os restantes tentos da equipa lusa.