sicnot

Perfil

Desporto

Ecclestone admite abandonar a Fórmula 1

​Bernie Ecclestone afirmou domingo que poderá abandonar a Fórmula 1 devido a problemas com a Liberty Media, empresa do magnata norte-americano John Malone, que comprou recentemente os direitos do Campeonato do Mundo.

Em declarações à Sky Sports, o empresário britânico, de 85 anos, mostrou-se desagradado com algumas das decisões de Malone, sobretudo por ter nomeado Chase Carey como presidente, um norte-americano que liderava a produtora de filmes 21st Century Fox.

"Graças a Deus que não preciso do dinheiro, não preciso de um emprego e, se eu achar que as decisões que estão a ser tomadas não são as corretas, desapareço de certeza", afirmou Ecclestone.

Recentemente, o multimilionário norte-americano John Malone anunciou a aquisição dos direitos do Campeonato do Mundo de Fórmula 1 por oito mil milhões de dólares (cerca de sete mil milhões de euros).

Em comunicado distribuído pela Liberty Media, empresa do magnata norte-americano, foi esclarecido que Bernie Ecclestone, até agora o 'patrão' da Fórmula 1, se manterá vinculado à modalidade 'rainha' do desporto automóvel como diretor-executivo.

O Grande Prémio de Singapura foi o primeiro sob gerência norte-americana.

Lusa

  • As crianças e o frio. O que vestir
    1:58

    País

    O médico Pedro Ribeiro da Silva, da Direção-Geral da Saúde, aconselha especial cuidado com as extremidades do corpo - usar luvas e gorros. E demasiado agasalhadas pode levá-as a transpirar mais e, consequentemente, desidratar.

  • Pelo menos 30 mortos e 75 feridos em incêndio e derrocada de edifício em Teerão

    Mundo

    Pelo menos 30 bombeiros morreram esta quinta-feira e cerca de 75 pessoas ficaram feridas em Teerão, quando um edifício de 17 andares ruiu depois de ser consumido pelas chamas, noticiaram os meios de comunicação estatais iranianos. O edifício "Plasco" situa-se no centro da capital iraniana, a norte da zona do mercado.

    Em desenvolvimento

  • Os finalistas do Carro do Ano 2017 são...
    0:53

    Economia

    São sete os escolhidos pelos jurados do Carro do Ano, iniciativa do Expresso e da SIC Notícias. À final chegaram o Citroen C3 Pure Tech, o Hyundai IONIQ Hybrid Tech, da Kia o novo modelo Optima Sportwagon 1.7 CRDi GT Line, o Peugeot 3008 Allure 1.6 BlueHdi, o Renault Mégane Sport Tourer Energy dCI, o SEAT Ateca 1.6 TDI CR Style e ainda o Volvo V90.