sicnot

Perfil

Desporto

Paris propõe-se gastar 145 M€ na organização dos Jogos Olímpicos de 2024

Paris vai gastar 145 milhões de euros para construir e renovar as infraestruturas necessárias para acolher os Jogos Olímpicos de 2024, anunciou e a candidatura francesa.

Na próxima semana, o Conselho de Paris deverá votar uma deliberação que autorize formalmente a Câmara de Paris a assinar as garantias financeiras requeridas pelo Comité Olímpico Internacional (COI) para que uma cidade possa acolher os Jogos Olímpicos.

"É uma etapa formal, mas, ao mesmo tempo, extremamente importante", salientou à AFP Jean-Francois Martins, adjunto do desporto da Câmara de Paris.

Paris tem previsto investir 30 milhões de euros na construção de uma segunda arena em Bercy e 21 milhões num centro aquático, a erguer junto do Stade de France, com a Aldeia Olímpica a estar orçada em quatro milhões.

O restante montante será alocado a renovações, com 25 milhões de euros reservados para os locais de treino, 12,5 para a piscina de Marville, em Seine Saint-Denis, no norte de Paris, e 6,5 para o estádio Pierre-de-Coubertin.

A capital francesa concorre com Roma, Budapeste e Los Angeles pela organização dos Jogos Olímpicos de 2024. A votação final vai acontecer em setembro de 2017, em Lima.

Lusa

  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • População afetada pelo fogo tenta repor o que as chamas destruíram
    1:54
  • "Juntos por Todos" hoje no palco em Lisboa
  • Glifosato na lista de produtos cancerígenos na Califórnia

    Mundo

    O estado norte-americano da Califórnia, nos Estados unidos, pode vir a obrigar o fabricante do popular herbicida Roundup a comercializar o produto com um rótulo que informe os consumidores de que o produto é cancerígeno. O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup fabricado pela Monsanto, consta de uma lista que vai ser divulgada na Califórnia, a 7 de julho, de produtos químicos potencialmente cancerígenos.

  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.