sicnot

Perfil

Desporto

Paulo César Gusmão já não é treinador do Marítimo

O treinador brasileiro Paulo César Gusmão deixou o comando técnico do Marítimo, anunciou esta segunda-feira o clube madeirense, protagonizando assim a primeira chicotada psicológica da I Liga portuguesa de futebol nesta época.

"O Marítimo da Madeira Futebol SAD informa que chegou a acordo com o treinador Paulo César Gusmão para a rescisão do contrato que unia as duas partes. Um acordo celebrado de forma digna, sem custos acrescidos para a instituição, e que revela o entendimento e profissionalismo máximo que sempre expressou o técnico enquanto ao serviço do Marítimo", informou o clube insular em comunicado na sua página oficial.

O treinador brasileiro, de 54 anos, chegou ao Marítimo a 01 de junho deste ano, mas a sua primeira experiência no futebol europeu durou apenas três meses e meio, fruto dos maus resultados no arranque da temporada.

"Tendo sempre presente os superiores interesses do Marítimo da Madeira Futebol SAD, e atendendo aos resultados até ao momento verificados nesta temporada de 2016/2017, a administração reconhece a falha da sua aposta, feita, obviamente, na perspetiva do melhor para as cores maritimistas", refere o comunicado, que anunciou também a saída do adjunto Jorge Soter.

Nas cinco primeiras jornadas, a turma insular venceu apenas uma partida e perdeu as restantes quatro, estando neste momento no 17.º e penúltimo lugar da tabela classificativa, com três pontos e somente um golo marcado.

Apesar disso, lê-se ainda no comunicado, a direção mantém a confiança nos jogadores para o que resta da temporada, começando já pelo jogo deste domingo, em casa, frente ao Tondela.

Esta é a terceira mudança de treinador no Marítimo em 2016, depois de Ivo Vieira se ter demitido em janeiro e de Nelo Vingada também ter abandonado o cargo em maio, no final da época anterior.

O anúncio da saída de Paulo César Gusmão acontece um dia antes do 106.º aniversário do Marítimo.

Lusa

  • António Costa evita perguntas sobre estágios não remunerados
    1:55
  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.