sicnot

Perfil

Desporto

Valência despede o treinador Pako Ayestarán

O Valência, clube em que atuam os futebolistas portugueses João Cancelo e Nani, anunciou esta terça-feira que despediu o treinador Pako Ayestarán devido ao mau arranque no campeonato espanhol, no qual ocupa o último lugar.

Em comunicado, o emblema espanhol revelou que a decisão foi tomada após uma reunião do conselho de administração, em que foi analisado o atual momento desportivo do clube. Em quatro jornadas, o Valência ainda não somou qualquer ponto e caiu para a última posição.

Pako Ayestarán, que em 2008/09 passou pelo Benfica na equipa técnica de Quique Flores, chegou ao Valência no decorrer da última temporada, na altura para substituir o inglês Gary Neville.

De acordo com a imprensa desportiva espanhola, os portugueses André Villas-Boas e Marco Silva estão na lista de possíveis sucessores do técnico de 53 anos.

Voro Gonzalez, antigo jogador e capitão do Valência, vai comandar a equipa de forma interina e estará na quinta-feira no banco de suplentes na receção ao Alavés, em jogo da quinta jornada do campeonato.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras