sicnot

Perfil

Desporto

Portugal é campeão mas ainda não é tubarão, reconhece Fernando Santos

MÁRIO CRUZ / LUSA

O selecionador Fernando Santos considera que, apesar de se ter sagrado campeão europeu, Portugal continua fora do grupo dos tubarões do futebol mundial, mas tem a obrigação de manter "a mesma ambição" de conquistar as provas que disputa.

"Portugal foi, é e vai continuar a ser uma grande equipa do futebol europeu. Antes, nunca fazia parte do lote de favoritos e continua na mesma condição. Nunca vai ser dominador no futebol europeu. Não nos podem exigir isso. Podem e devem exigir que tenha a mesma ambição e o mesmo objetivo que tinha antes, que é tentar vencer", afirmou Fernando Santos.

Em entrevista à revista FPF360, da Federação Portuguesa de Futebol, o técnico de 61 anos abordou a renovação que está a acontecer na seleção nacional e disse que "o futuro está assegurado".

"Em Portugal, neste momento, trabalha-se muito bem na formação, tantos nos clubes, e não só nos grandes, como nas seleções. Muito se fala na renovação, mas esse é um processo natural e o futuro está assegurado", referiu o treinador, lembrando que 12 dos jogadores que estiveram no Euro2016 nunca tinha antes participado numa fase final.

A poucos dias de defrontar Andorra e Ilhas Faroé na fase de qualificação para o Mundial2018, Fernando Santos alertou que a seleção nacional "necessita rapidamente de deixar de estar em modo campeão da Europa" e que essa terá sido uma das razões que levou à derrota na Suíça (2-0), na estreia no grupo B.

"É muito diferente competir numa fase de apuramento do que numa fase final. Se calhar ainda estávamos todos um pouco em modo campeão da Europa e isso vai ter que deixar de acontecer. Isso é uma responsabilidade minha e tenho que conseguir que isso termine", frisou o selecionador nacional, acrescentando que Portugal encontrou no Euro2016 "a mentalidade certa para ter sucesso" e que não a pode esquecer.

Fernando Santos defendeu que a seleção portuguesa tem em Cristiano Ronaldo "o melhor jogador do mundo" e, por isso, deve continuar a projetar a sua forma de jogar em torno do avançado do Real Madrid.

"Seria muito estranho Portugal ter o melhor jogador do mundo e não planear a sua forma de jogar de acordo com o que eu penso que pode potenciar o Cristiano Ronaldo. As outras seleções fazem isso", defendeu.

No dia 29 de setembro, Fernando Santos divulga os convocados para os jogos com Andorra e Ilhas Faroé, da fase de qualificação para o Mundial2018, sendo esperado o regresso de Ronaldo, que falhou o arranque em Basileia, devido a lesão.

A seleção nacional defronta Andorra a 07 de outubro, em Aveiro, e as Ilhas Faroé a 10, em Tórshavn.

Lusa

  • Coreia do Norte lança novo míssil balístico

    Mundo

    O Pentágono detetou esta sexta-feira mais um lançamento de um míssil balístico por parte da Coreia do Norte. O primeiro-ministro japonês já confirmou o lançamento, que terá atingido a zona económica exclusiva, no Mar do Japão.

  • Menino perdido na Praia da Luz foi levado à GNR por turista
    1:11

    País

    Um menino inglês, de sete anos, esteve desaparecido na quinta-feira na Praia da Luz, no Algarve, depois de se ter perdido dos pais. A GNR colocou duas equipas de investigação no local, mas ao fim de uma hora e meia o rapaz apareceu na esquadra de Lagos acompanhado por um turista a quem terá pedido ajuda.

  • Mais viagens mas menos turistas de Portugal
    1:22

    País

    Os residentes em Portugal - sejam portugueses ou estrangeiros - realizaram quatro milhões de viagens turísticas, só no primeiro trimestre do ano. Um aumento de mais de 6% nas viagens dentro do país face ao período homólogo e de mais de 15% nas viagens para fora, de avião. O estudo é do INE, o Instituto Nacional de Estatística, que permite fazer o retrato mais claro de quem viaja e porquê.

  • Algarve sozinho gera metade dos bens transacionáveis em Portugal
    4:14

    SIC 25 Anos

    O Algarve quase não tem indústria e os especialistas consideram que é excessivamente dependente do turismo. Ainda assim, sozinho contribui com metade do que Portugal gera em bens transacionáveis. A região tem problemas graves, como a falta de médicos e um custo de vida muito alto, mas continua a atrair a maior parte dos turistas e muitos estrangeiros decidem mesmo escolher a região para viver.