sicnot

Perfil

Desporto

FIFA bane dirigente da federação do Qatar de votação asiática para conselho

Reuters

A FIFA baniu um dirigente da federação de futebol do Qatar de concorrer às eleições para um lugar no seu novo conselho, devido a uma investigação.

No início do mês, a Comissão de Ética da FIFA abriu um procedimento contra o vice-presidente da federação do Qatar, Saoud al-Mohannadi, e propôs uma suspensão de dois anos e meio para o dirigente, por ter recusado cooperar com uma investigação.

A FIFA não revelou o objeto da investigação, mas o procedimento não está relacionado com o Mundial de 2022, em que o Qatar será anfitrião.

Mohannadi negou qualquer irregularidade e foi autorizado a apresentar-se às eleições da Confederação Asiática de Futebol (AFC), no estado indiano de Goa, na terça-feira, antes de a AFC anunciar que fora afastado.

"A FIFA avisou a Confederação Asiática de Futebol (AFC) que, com base no relatório da câmara de investigação do Comité de Ética da FIFA, tinha decidido que o senhor Saoud A. Aziz Al-Mohannadi (Qatar) não é elegível para se apresentar a eleições para o conselho da FIFA", indicou a AFC em comunicado emitido na noite de domingo.

Seis candidatos da Ásia, incluindo da China e Coreia do Norte, vão disputar, num congresso extraordinário da AFC em Goa, três assentos no conselho da FIFA, que foi criado no quadro das reformas da FIFA, já sob a direção do suíço Gianni Infantino, em que ficou definido que o comité Executivo passaria a conselho.

Três candidatos do sexo masculino -- Zhang Jian (China), Ali Kafashian Naeni (Irão) e Zainudin Nordin (Singapura) -- vão disputar dois dos assentos na votação de terça-feira, a qual vai contar com a presença do presidente da FIFA, Gianni Infantino.

O terceiro lugar vai ser disputado por três mulheres ao abrigo das reformas da FIFA que estabeleceram ainda que cada uma das confederações deve ter pelo menos uma representante do sexo feminino no conselho.

  • Depois do Fogo
    23:30
  • "A culpa morre sozinha?"
    0:41

    Opinião

    Luís Marques Mendes não acredita que o Ministério Público não formule uma acusação de homicídio por negligência e que não haja demissões na sequência do incêndio de Pedrógão Grande. O comentador da SIC debateu o tema este domingo no Jornal da Noite da SIC.

    Luís Marques Mendes

  • Pagar IMI a prestações e um Documento Único Automóvel mais pequeno

    País

    O programa Simplex + 2017 é apresentado hoje à tarde e recebeu mais de 250 propostas de cidadãos ao longo dos últimos meses. As novas medidas preveem o pagamento em prestações do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e a criação de um simulador de custos da Justiça, que devem estar em vigor no próximo ano.

  • O último adeus a Miguel Beleza

    País

    O velório do economista e ex-ministro das Finanças realiza-se esta segunda-feira na Igreja do Campo Grande, em Lisboa, a partir das 18h00.

  • Trump quebra tradição da Casa Branca com 20 anos

    Mundo

    Donald Trump decidiu não fazer um jantar de celebração pelo fim do Ramadão, o mês em que os muçulmanos cumprem jejum entre o nascer e o pôr do sol. O Presidente dos Estados Unidos quebrou a tradição da Casa Branca, pela primeira vez em 20 anos.