sicnot

Perfil

Desporto

FIFA bane dirigente da federação do Qatar de votação asiática para conselho

Reuters

A FIFA baniu um dirigente da federação de futebol do Qatar de concorrer às eleições para um lugar no seu novo conselho, devido a uma investigação.

No início do mês, a Comissão de Ética da FIFA abriu um procedimento contra o vice-presidente da federação do Qatar, Saoud al-Mohannadi, e propôs uma suspensão de dois anos e meio para o dirigente, por ter recusado cooperar com uma investigação.

A FIFA não revelou o objeto da investigação, mas o procedimento não está relacionado com o Mundial de 2022, em que o Qatar será anfitrião.

Mohannadi negou qualquer irregularidade e foi autorizado a apresentar-se às eleições da Confederação Asiática de Futebol (AFC), no estado indiano de Goa, na terça-feira, antes de a AFC anunciar que fora afastado.

"A FIFA avisou a Confederação Asiática de Futebol (AFC) que, com base no relatório da câmara de investigação do Comité de Ética da FIFA, tinha decidido que o senhor Saoud A. Aziz Al-Mohannadi (Qatar) não é elegível para se apresentar a eleições para o conselho da FIFA", indicou a AFC em comunicado emitido na noite de domingo.

Seis candidatos da Ásia, incluindo da China e Coreia do Norte, vão disputar, num congresso extraordinário da AFC em Goa, três assentos no conselho da FIFA, que foi criado no quadro das reformas da FIFA, já sob a direção do suíço Gianni Infantino, em que ficou definido que o comité Executivo passaria a conselho.

Três candidatos do sexo masculino -- Zhang Jian (China), Ali Kafashian Naeni (Irão) e Zainudin Nordin (Singapura) -- vão disputar dois dos assentos na votação de terça-feira, a qual vai contar com a presença do presidente da FIFA, Gianni Infantino.

O terceiro lugar vai ser disputado por três mulheres ao abrigo das reformas da FIFA que estabeleceram ainda que cada uma das confederações deve ter pelo menos uma representante do sexo feminino no conselho.

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.