sicnot

Perfil

Desporto

Serge Aurier condenado a dois meses de prisão por agredir polícia

Reuters

O futebolista Serge Aurier, do Paris Saint-Germain, foi esta segunda-feira condenado a dois meses de prisão por agredir um polícia, uma decisão da qual o advogado do jogador admitiu recorrer para evitar prisão imediata.

Em maio, o lateral esquerdo, de 23 anos, envolveu-se num conflito com um polícia, à saída de uma discoteca no centro de Paris.

Os agentes afirmaram que, quando o interceptaram, o jogador recusou-se a parar o carro que conduzia e quando foi obrigado a sair do veículo foi violento, atacando um deles com o cotovelo. Aurier confirmou que houve um conflito com um dos agentes, mas que foi atacado em primeiro lugar.

Além da +pena de prisão, o Tribunal de Paris condenou ainda o internacional do Costa do Marfim a pagar 600 euros por perdas e danos e 1.500 euros de custas judiciais.

No entanto, o tribunal não impôs qualquer ordem de prisão imediata permitindo que Aurier permaneça em liberdade se apresentar recurso, facto que o advogado do jogador confirmou.

Desta forma, o defesa poderá jogar pelo PSG, na partida de quarta- feira, contra o Ludogorets, na Bulgária, a contar para a fase de grupos da Liga dos Campeões.

  • Incêndios causaram 76 feridos no espaço de uma semana
    0:34

    País

    No espaço de uma semana, 76 pessoas ficaram feridas, incluindo seis com gravidade, durante os incêndios florestais. Na conferência de imprensa desta tarde, a Proteção Civil explicou que há cinco planos municipais de emergência ativos por causa das chamas.

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.