sicnot

Perfil

Desporto

Sporting promete ser implacável para adeptos que usem pirotecnia frente ao Legia

O Sporting prometeu ser implacável para os adeptos que utilizarem artefactos pirotécnicos no jogo de terça-feira com o Legia de Varsóvia, para a Liga dos Campeões de futebol, e que podem prejudicar o clube.

"Nunca é demais lembrar as incomportáveis multas da UEFA para a utilização de pirotecnia e do sério risco da nossa casa ser interdita, o que leva o Sporting a ser intransigente com prevaricadores", pode ler-se numa nota publicada pelo Sporting no seu sítio da internet, na qual assegura que será "absolutamente implacável" e que "agirá em conformidade" perante "aqueles que quiserem prejudicar o clube nestas circunstâncias".

O Sporting considera que as multas nos jogos da UEFA são "completamente incomportáveis" para o Sporting e que "o risco de interdição de bancada ou do estádio é real", e faz a denúncia de dois adeptos devidamente identificados que no último jogo em Alvalade, frente ao Estoril, para a I Liga, "não perceberam a mensagem do clube" e decidiram "estragar o espetáculo", ao invés dos "mais de 40 mil espetadores presentes que ajudaram a alcançar mais uma vitória".

"É fulcral que se continue a dar à Europa a imagem do bom comportamento do público, o qual, genericamente, se tem verificado, e apelamos para que o apoio do 12.º jogador se continue a fazer sentir com toda a força e que seja o verdadeiro catalisador para as vitórias do Sporting", pode ler-se, ainda, na referida nota.

O clube estendeu o alerta para os jogos das provas nacionais, nos quais "as multas aplicadas ao Sporting, quando somadas, determinam o aumento de saldo negativo".

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras