sicnot

Perfil

Desporto

PSP reforça dispositivo policial para jogo entre Sporting e Legia de Varsóvia

O jogo desta terça-feira entre o Sporting e o Legia de Varsóvia merece uma "atenção especial" por parte da PSP, que reforçou o dispositivo para um encontro que considera de "alto risco".

O porta-voz do Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis) da PSP, comissário Sérgio Soares, disse à agência Lusa que o jogo para a Liga dos Campeões de futebol vai contar com "um dispositivo mais reforçado", sendo o normal para um encontro considerado de "alto risco".

Nesse sentido, estão mobilizados efetivos da terceira divisão da PSP de Lisboa, elementos da divisão de trânsito e das equipas de intervenção rápida, além de estarem em Lisboa três polícias polacos.

O porta-voz do Cometlis adiantou que em "último recurso" existirá também a opção dos elementos da Unidade Especial de Polícia, designadamente Corpo de Intervenção e Grupo Operacional Cinotécnico.

Segundo Sérgio Soares, a PSP tem conhecimento que estão em Lisboa adeptos "de risco acrescido".

Dos 800 bilhetes disponibilizados pelo Sporting, foram vendidos aos adeptos do Legia de Varsóvia 400 ingressos e, entre estes, constam adeptos perigosos.

Desde sexta-feira que a PSP está a fazer "um policiamento mais exaustivo" junto de alguns adeptos do clube polaco que já se encontram em Lisboa, nomeadamente nas zonas de diversão noturna, afirmou, avançando que a maioria chega esta quarta-feira à capital portuguesa.

Para tal, a Polícia de Segurança Pública montou um policiamento no aeroporto de Lisboa para detetar e monitorizar os adeptos com o objetivo de os acompanhar ao longo do dia.

Sérgio Soares disse ainda que a PSP está a preparar o jogo com as autoridades polacas há algumas semanas, tendo em conta os incidentes ocorridos em fevereiro de 2012, quando o clube de Alvalade recebeu o Legia de Varsóvia.

O jogo para a Liga dos Campeões de futebol entre o Sporting e o Legia de Varsóvia está agendado para as 19:45 no Estádio José Alvalade.

Lusa

  • Um dos conflitos mais sangrentos e esquecidos do planeta pelo olhar de uma portuguesa
    3:20

    Mundo

    A guerra do Congo, que opõe milícias rebeldes ao regime de Kabila, já dura há 20 anos e fez seis milhões de mortos, quatro milhões de deslocados internos e um número crescente de refugiados. Um dos conflitos mais sangrentos e esquecidos do planeta tem levado milhares de civis a passar a fronteira para Angola. A médica portuguesa Ana Paula Cruz testemunhou o drama silencioso dos congoleses nos campos de refugiados da Lunda Norte.

  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05