sicnot

Perfil

Desporto

Fernando Gomes realça superior conduta ética e moral do "velho capitão"

O Presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) enalteceu esta segunda-feira a superior conduta ética e moral de Mário Wilson, o velho capitão que construiu "uma carreira quase ímpar no futebol português, quer como jogador quer como treinador".

"Foi com grande tristeza que recebi a notícia da morte de Mário Wilson. Pessoa de uma bonomia e trato ímpares, o velho capitão - como todos os que dele gostavam se habituaram a tratá-lo -- construiu uma carreira quase ímpar no futebol português, quer como jogador quer como treinador", começou por dizer Fernando Gomes, em comunicado publicado na página da FPF.

O presidente da entidade que tutela o futebol nacional recordou as passagens de Mário Wilson pelo Desportivo de Lourenço Marques, Sporting, Académica, Benfica, Vitória de Guimarães, Boavista, Belenenses e Estoril-Praia, entre vários outros clubes, considerando que o seu percurso sublinha "a grandeza de quem também demonstrou o seu valor como técnico e as suas inegáveis qualidades humanas como selecionador nacional".

"Mário Wilson ganhou inúmeros campeonatos e Taças, marcou muitos golos, orientou muitas vitórias, deu-nos muitas alegrias mas, acima de tudo, conquistou o respeito de todos os que com ele conviviam pela sua superior conduta ética e moral", prossegue a nota.

Fernando Gomes refere ainda que "nesta hora amarga e de luto do futebol nacional e do país", fica a certeza de que o legado de simplicidade, sabedoria e retidão de Mário Wilson vai perdurar.

"À sua família, entes queridos, amigos, colegas de profissão, endereço, em meu nome e em nome da FPF, as minhas mais sentidas condolências", conclui o comunicado.

Mário Wilson morreu hoje, aos 86 anos, anunciou o Benfica, clube que levou como treinador ao triunfo no campeonato nacional de 1975/76 e das Taças de Portugal de 1979/80 e 1995/96.

Natural de Maputo, em Moçambique, Mário Wilson envergou, como jogador, as camisolas do Desportivo de Lourenço Marques, Sporting e Académica.

Como treinador, orientou o Benfica em três ocasiões, mas também emblemas como Académica, Belenenses, Vitória de Guimarães e Boavista, entre outros, assim como a seleção portuguesa na qualificação para o Europeu de 1980.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.