sicnot

Perfil

Desporto

Adrien Silva operado ao joelho esquerdo

O Sporting anunciou esta terça-feira que o futebolista Adrien Silva foi operado ao joelho esquerdo e que vai ficar afastado da competição por um período de quatro a seis semanas.

O internacional português sofreu uma lesão muscular na face posterior da coxa esquerda na partida frente ao Vitória de Guimarães (3-3), que o obrigou a ser substituído ainda na primeira parte.

"O tempo estimado de paragem é de quatro semanas. Em virtude desta paragem obrigatória, o departamento clínico aproveitou para tratar uma lesão meniscal pré-existente no joelho esquerdo", refere o Sporting em comunicado.

Adrien Silva foi, assim, sujeito a uma artroscopia ao joelho esquerdo na segunda-feira, no Hospital CUF-Descobertas, que esteve a cargo do médico Pedro Pessoa.

"Decorreu tal como esperado. É expectável que Adrien Silva retorne à competição entre quatro a seis semanas", concluiu.

O capitão do Sporting figurava entre os convocados do selecionador Fernando Santos para a dupla jornada de Portugal no Grupo B da zona europeia de qualificação para o Mundial 2018, na Rússia, frente a Andorra, na quinta-feira, em Aveiro, e Ilhas Faroé, no dia 11, mas acabou por ser dispensado em virtude desta lesão.

Lusa

  • Adrien lesionado

    Desporto

    Adrien Silva tem uma lesão na coxa e deve falhar os jogos da seleção nacional, na sexta/feira com Andorra e no dia 10 frente às Ilhas Faroé, ambos de qualificacao para o Mundial de 2018.

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Itália tenta colocar migrações na agenda do G7 contra vontade dos EUA
    1:45
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.