sicnot

Perfil

Desporto

Andy Murray confessa ter sido vítima de perseguição

O tenista escocês Andy Murray, número dois mundial, disse esta terça-feira ter sido vítima de perseguição por uma funcionária de hotel, que entrou no seu quarto enquanto dormia, seguindo-o pelo menos em dois torneios.

O bicampeão olímpico e tricampeão do Grand Slam contou que acordou com a mulher sentada na sua cama, acariciando o seu braço.

"Entrou no meu quarto. Sentou-se ao meu lado. E começou a acariciar o meu braço, às 7:00, enquanto dormia", revelou Murray em entrevista à International Premier Tennis League.

O número dois do ténis mundial disse que foi alvo de perseguição em hotéis em Roterdão e Barcelona, onde estava hospedado.

"Não sei se é coisa de fã, mas acho um pouco exagerado o que aconteceu", rematou.

O escocês encontra-se em Pequim para disputar o Open da China, onde uma boa campanha pode encurtar a distância pontual para o sérvio Novak Djokovic, número um do mundo.

Lusa

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.