sicnot

Perfil

Desporto

Conselho de Arbitragem reitera obrigatoriedade de árbitros reportarem pressões

O Conselho de Arbitragem (CA) de Federação Portuguesa de Futebol (FPF) reiterou esta terça-feira a obrigatoriedade dos árbitros reportarem quaisquer pressões que sejam alvo, numa mensagem enviada a todos os agentes do setor.

Após a reunião semanal e um dia depois de uma denúncia do Sporting, o órgão presidido por José Fontelas Gomes solicitou a árbitros, árbitros assistentes, observadores e demais agentes de arbitragem que denunciem quaisquer situações que possam danificar a boa imagem do setor ou limitem a sua liberdade de ação.

Contactada pela agência Lusa, fonte do CA da FPF confirmou o enviou do email, sem revelar o conteúdo do mesmo.

Na segunda-feira, o Sporting, na página do seu departamento de comunicação no Facebook, deu conta de algumas "pressões" feitas a agentes da arbitragem.

"Temos recebido relatos de que elementos ligados à arbitragem começam a ser ameaçados de poder perder os seus trabalhos fora do futebol se as coisas não voltarem ao que eram. Estas pressões estarão a ser feitas pelos próprios patrões e/ou superiores hierárquicos. A estar a suceder é absolutamente execrável e nós estaremos atentos, denunciando toda e qualquer situação. Não vão conseguir parar a mudança fundamental no futebol!", lê-se na mensagem leonina.

Lusa

  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • Estarão os portugueses a consumir vitamina D em excesso? 
    6:44
  • Investigadores criam nanovacina contra diferentes cancros

    Mundo

    Investigadores da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, desenvolveram uma nanovacina (vacina administrada através de partículas microscópicas) contra diferentes cancros, como o da pele, do cólon e do reto, numa experiência com ratos, revela um estudo publicado esta segunda-feira.